Mail-marketing - imagem: aehweb.com.brAs pessoas sabem o que eu acho do envio de e-mails como ferramenta de publicidade. Já falei algumas vezes aqui no blog e já reclamei várias vezes no Facebook contra as pessoas que não tem a menor educação e enchem as caixas de e-mail dos outros com spams descarados, que não me interessam, oferecem produtos que nunca irei comprar e ainda escondem vírus, disfarçados de informação séria.

Se dependesse de mim, haveria um filtro em que as caixas de e-mail só receberiam mensagens de pessoas conhecidas e sair de listas de e-mail dependeria apenas da vontade de quem recebeu a mensagem, a um simples clique no próprio programa de e-mails.

Por outro lado, penso que não posso ser tão radical. De fato, há muitos spams por aí e algumas empresas ainda acreditam na velha lenda de que se 1% dos destinatários de um lista de e-mails fizerem uma compra, ainda assim vale a pena aborrecer os outros 99%, sendo um bom negócio para as empresas. Uma lenda só é combatida com esclarecimento, então mais uma vez darei a minha contribuição para isso.

Se você já tem uma lista de e-mails de qualidade, é hora de alimentar essa lista com conteúdo de qualidade, altamente relevante e que desperte bons sentimentos nos leitores, ao invés de um simples clique no botão de SPAM ou no Desnscrever-se da lista. Não é difícil desde que você respeite alguns pontos simples, realmente bem simples.

Antes de mais nada, não envie e-mails diariamente para seus clientes, nem mesmo se você tiver informações frescas todo dia em sua loja. Se não recomendo esse tipo de estratégia para portais de conteúdo, que tem notícias diárias, não faria sentido para uma loja virtual, que terá novidades mensais, na maioria dos casos. Se você chega todos os dias à caixa de e-mails de seu cliente, com o tempo ele se acostumará e deixará de dar atenção aquelas mensagens, talvez até mesmo apagando sem lê-las.

Organize sua agenda para fazer um envio mensal ou no máximo quinzenal, proporcionando um resumo das novidades e promoções aos leitores. Se você souber ajustar a frequência correta, a época certa do mês e um título chamativo, as chances de abertura serão maiores.

Aliás, a época certa do mês pode variar entre os diversos públicos. Você pode criar segmentos em sua lista de e-mails, por exemplo com base em perfil geográfico e idade, e disparar newsletters diferenciadas para cada segmento, em épocas diferentes. A frequência também pode variar entre esses públicos.

Lembre-se que seja uma newsletter, um envio de ofertas ou um simples convite para conhecer novos produtos, o envio precisa ter um visual elaborado. Por visual elaborado, não entenda uma página HTML cheia de elementos, com itens difíceis de ler em telas pequenas, por exemplo. Você deve concentrar-se em apresentar os elementos em texto, com poucas imagens, aliando um visual elegante, limpo e atrativo sem ser pesado.

Por fim, o conteúdo é essencial. Não adianta você acertar a frequência, a época, o visual se o conteúdo não for relevante. Você precisa chamar a atenção de seus leitores para que eles cumpram os objetivos esperados por você: ler um artigo, conhecer um produto, comprar X itens, recomendar sua loja, etc. Como não poderia deixar de ser, essa é a parte mais complicada e que requer mais atenção e otimização. Não se esqueça também de marcar seus links com as tags do Google Analytics, de modo que você possa medir o retorno das campanhas e compreender o comportamento dos clientes que foram adquiridos via newsletter.

Antes de terminar, todos os programas de envio de newsletters fornecem relatórios completos da performance da campanha. Acostume-se a olhar esses relatórios e entender se uma campanha é mais aberta ou mais clicada em determinada época do mês ou por um segmento. Abra também o Google Analytics e verifique como é o desempenho desses visitantes, se eles estão mais preparados para comprar e se há alguma ação paralela (como um remarketing) que posso auxiliar nas conversões.

 

Construindo newsletters de qualidade
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)