Marketplace é um assunto que abordei algumas vezes aqui no blog, sob a ótica de construir um marketplace. Nesse tutorial, falo sobre como vender em marketplaces, ou seja, colocar os produtos de sua loja virtual em lojas virtuais de terceiros, passando a vende-los também em outras lojas.

Ao definir a estratégia, você avaliou quais são os marketplaces onde você pode vender e buscou entender seu funcionamento, quem são as pessoas que passam por ali, quem são seus concorrentes, que tipo de atitude eles tomam ao oferecer seus produtos, etc. Agora é hora de pensar em como determinar os produtos que você pode vender.

Catálogo de produtos - imagem: Hiya Images

3) Escolhendo os produtos

Não sou favorável à ideia de colocar todos os produtos de sua loja no marketplace, seja ele qual for. Se por um lado, são mais chances de venda, por outro é mais trabalho para manter as páginas atualizadas e atrativas, retirando horas de outras tarefas que podem trazer mais resultados, como cuidar de uma boa campanha de Google Adwords.

Portanto, minha recomendação é selecionar entre 10 e 20% de seus produtos (ou ao menos 10 produtos) e trabalhá-los apenas nos marketplaces relevantes para sua estratégia. Por exemplo:

  • Você detectou que seu segmento conta com um grande público dentro do Mercado Livre. Portanto, você deve separar 10 produtos onde seja possível concorrer, seja em número de concorrentes, seja em preço, e preparar o terreno para trazer essas pessoas para que sejam convertidas em clientes. Na prática, você está comprando um potencial consumidor que você deve atingir com campanhas futuras. É preciso mostrar para ele que seus produtos são bons, seu atendimento é diferenciado e que pode ter preços agressivos.
  • Você quer trazer novos clientes e percebe que o público do Walmart tem afinidade com seus produtos. Não adianta colocar todos os produtos de sua loja lá, mas sim aqueles que têm maiores chances de serem vendidos. Da mesma forma como no ML, depois de fazer a primeira venda, você precisa dar um jeito de torná-los clientes de sua loja e não do marketplace.
  • Você encontrou um marketplace segmentado. Nesse caso, preço não vai ser o principal atrativo e sim a qualidade e a diferenciação do produto. Portanto, avalie quais produtos podem chamar a atenção quando expostos no marketplace e os trabalhe.
  • Outro caminho para o uso de marketplaces é quando você deseja testar um produto e não há público suficiente para isso em sua loja virtual. Você pode anunciá-lo por lá, mostrando o produto para um público qualificado em uma escala maior.

Não se esqueça que para isso funcionar, você precisa ter acesso aos dados completos do cliente e você precisa enviar os produtos para sua casa. Assim, ao fazer o envio, lembre-se de incluir elementos que mostrem claramente quem é a sua loja, de quem o cliente está comprando, para que ele não pense apenas que comprou do marketplace X.

Também no envio inclua um cupom de desconto para que ele faça uma compra em sua própria loja. A melhor forma de fazer com que o cliente torne-se seu cliente é fazer com que ele viva essa experiência.

Trabalhando com marketplaces – parte 2/4
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)