Desde sexta-feira de manhã que todos no mundo Magento estão desesperados: como era de se esperar, os Correios fizeram uma alteração no webservice que fornece os preços de frete e todas as lojas que utilizam o módulo disponibilizado pelo Pedro Teixeira ficaram sem cálculo de frete. Ficar sem cálculo de frete equivale praticamente a dizer que a loja fechou as portas.

Já há tempos que eu venho discutindo isso com outros profissionais. Em 2010, o webservice dos Correios experimentou uma mudança que, assim como agora, deixou muita gente em apuros. Naquela época, o Pedro Teixeira rapidamente modificou o código e soltou uma nova versão. Dessa vez, isso não aconteceu (e não é culpa dele!). Como contornar essa situação desagradável? O que pode ser feito para que isso não aconteça novamente?

módulo dos Correios no Magento - imagem: Life Size/Getty ImagesNo sábado, eu dei uma palestra sobre Magento em Santa Maria, e comentei com o público sobre esse problema, já que o evento era sobre comunidade e software livre. Quem ouviu talvez tenha entendido que eu estava recriminando o Pedro Teixeira, mas não era essa a intenção. Garanto! Lá em 2008, ele desenvolveu o módulo por conta própria e disponibilizou pra comunidade, de graça.

O grande problema é que a maior parte dos módulos disponíveis para Magento foram feitos para atender uma necessidade pontual ou nas horas vagas de um desenvolvedor. Depois de um tempo, eles acabam perdendo o interesse em sua criação (ou são contratados por grandes empresas) e deixam de atualizá-lo. O módulo fica perdido, sem alguém que se sinta responsável por ele e os problemas aparecem na pior hora.

Esse tipo de modelo não é aceitável em lojas virtuais, pois uma parada de uma hora pode ocasionar sérios prejuízos. Mas é o modelo que está em vigor e assim como o módulo dos Correios, já houve casos de módulos patrocinados por meios de pagamento que simplesmente eram atualizados apenas a cada dois anos. No meio do caminho, o lojista que buscasse sua própria solução.

Depois que o módulo dos correios deixou de ser atualizado (a última versão foi feita na época da Community Edition 1.5), nenhum outro desenvolvedor assumiu o projeto e nenhuma empresa dispôs-se a oferecer um serviço de suporte para esses casos (o módulo é opensource, ele pode ser utilizado e modificado). Quando ocorre uma situação como a de sexta-feira, milhares de lojistas ficam reféns de um serviço que deixou de funcionar e que não tem suporte. A saída foi encontrada por alguns programadores que decidiram investigar o que estava acontecendo (apesar do péssimo suporte prestado pela empresa pública) e postar uma correção provisória. Na manhã dessa segunda, o webservice dos Correios voltou a funcionar. Mas até quando?

Nesse modelo, eu não vejo saída. A única forma de contornar essa dificuldade é passar a ter módulos pagos, de qualidade, desenvolvidos e atualizados com frequência. Quando eu digo atualizados, significa não ficar esperando as coisas caírem pra introduzir melhorias e antecipar correções. O mercado de Magento no Brasil pede isso e não vejo outra saída se a plataforma realmente quiser continuar seguindo sua trajetória de sucesso. E você, como vê a questão dos módulos gratuitos? Deixe sua opinião aqui nos comentários.

Problemas no módulo dos Correios no Magento
2 votos, 4.50 média (88% pontuação)