Formando um time -  imagem: Nullplus/E+Essa é realmente a pergunta que vale um milhão de dólares: qual é o caminho para se formar um time de profissionais para desenvolvimento e implantação de lojas virtuais Magento? O caminho não é fácil e poucas pessoas (não só no Brasil) sabem essa resposta. As dificuldades passam pela própria complexidade do software, pela falta de profissionais qualificados, pelas lacunas na formação de profissionais em Magento e pela própria imaturidade do mercado – o e-commerce em si é tão novo como a internet e muita coisa ainda deve ser feita.

Esse post é o primeiro de dois artigos falando sobre como montar um time para trabalhar com Magento. Como eu vou reforçar a seguir, a iniciativa e o comprometimento deve partir sempre do empreendedor ou líder do projeto. Essa é uma tarefa que não pode ser delegada e que requer muita paciência e trabalho duro. Um time não se forma do dia para a noite e os resultados não vem na semana seguinte.

Nesses pouco mais de dois anos em que eu tenho me dedicado à consultoria em lojas virtuais Magento, recebi algumas consultas para dar suporte à formação de um novo time. Entre empresas pequenas e médias, a demanda era a mesma: “queremos vender lojas Magento e portanto precisamos de alguém que conheça o caminho para nos assessorar”. Elas sabiam que o mercado de lojas virtuais está aquecido e queriam aprender mais sobre o Magento para poder se diferenciar e fazer lojas melhores.

Apesar dessa diferenciação – o próprio fato de buscarem uma consultoria já as colocou em um patamar um pouco melhor que muitas empresas que quebram a cara sozinhas -, nenhuma dessas empresas foi pra frente. Sim, nenhuma dessas empresas trabalha hoje com Magento ou realmente se destacou no mercado. O que levou empresas diferenciadas em sua origem a não atingirem o sucesso? Em todas elas a resposta é uma só: a dificuldade de montar uma boa equipe, com profissionais que entendam de Magento e estejam em harmonia.

Já falei várias vezes aqui no blog que profissionais Magento não são formados em poucos dias. O Magento é uma plataforma complexa, com muitos recursos e uma série de paradigmas quebrados e métodos de trabalho modificados. Para alterar um item em um menu no frontend, desenvolvedores tradicionais buscariam uma entrada de código HTML, em algum arquivo dentro do template, mas no Magento não é assim que funciona. O método é muito simples, mas requer tempo para compreender e se adaptar a essa nova forma de desenvolver. Se existem profissionais qualficados, poucos são os que decidem parar para aprender muita coisa novamente e menos ainda são aqueles que querem fazer as coisas do jeito certo.

Se não há profissionais prontos, é preciso formá-los. Aí entra o segundo problema: formar profissionais leva tempo, custa dinheiro e não se resolve apenas com tutoriais e apostilas obtidas na internet. Esses recursos são suficientes quando se está no nível básico, mas após romper um determinado nível, uma formação de qualidade é obrigatória. Aí, chega-se em um círculo vicioso: a empresa não quer pagar o treinamento do colaborador porque tem medo de perdê-lo e não recuperar o investimento; o desenvolvedor não quer fazer o curso porque acha que já sabe tudo ou que pode aprender sozinho e que não tem a obrigação de arcar com o custo do treinamento. Nisso, a situação permanece em uma constante espiral, sem que os profissionais realmente cresçam e sem que a base do time seja solidificada. Constroi-se uma equipe assim como se monta um castelo de cartas.

Pontos de interrogação - imagem: Rüstem Gürler/E+E esse castelo desaba quando duas coisas acontecem: uma empresa concorrente leva o seu melhor funcionário, seduzido por uma proposta financeira de alto valor e um novo desafio ou um cliente encerra um bom contrato porque a empresa não foi capaz de entregar no prazo (ainda que o prazo tenha sido estendido por 3 vezes) ou entrega uma loja que não funciona ou entrega uma loja que não tem nada a ver com o combinado inicialmente. Um time que já vinha pressionado por resultados acaba por perder toda a confiança e não consegue mais responder. O fim da operação é uma questão de tempo.

Nessa hora, algumas empresas percebem que o time de Magento não envolve apenas os desenvolvedores, mas os gestores de clientes, que conversam com os empreendedores e levantam suas necessidades, de modo que a loja virtual atenda ao que o cliente está procurando. Muitas vezes, o estrago já está feito. E como isso pode ser solucionado? No próximo artigo, vamos falar das ações que podem ser tomadas para estruturar um time de Magento de ponta.

Como formar um time de Magento – parte 1
3 votos, 5.00 média (96% pontuação)