A maioria dos lojistas provavelmente deve preferir trabalhar sem estoques, sem produtos físicos – se pudessem, adotariam apenas o dropshipping, integrando seus estoques aos estoques dos fornecedores e atuando apenas na venda, preocupado em fazer o cliente comprar aquele produto em sua loja virtual. Porém, a vida não é tão simples assim. Precisamos lidar com estoques, todos os dias, gerenciando compras, recebimentos, saídas, reposições. A pergunta é: você presta atenção em seu estoque? Conhece o que tem em seu depósito e como os produtos são distribuídos em seu faturamento mensal? Sabe o que não pode faltar de jeito nenhum?

Gestão de estoques em lojas virtuais - imagem: Hero Images

Mesmo que sua loja seja micro ou pequena (e talvez o termo certo seja “especialmente se” sua loja for micro ou pequena), você deve dedicar uma parte de seu dia para avaliar o estoque e pensar em formas de otimizá-lo. Lembre-se: estoque parado é dinheiro parado. Ainda que você tenha um prazo para pagar seu fornecedor, se o produto ficar parado muito tempo na prateleira, ele representa dinheiro parado. A primeira grande preocupação de um gestor é: quanto tempo você está levando para vender um produto? Ou por outra: qual é seu giro? O produto chega, fica poucos dias e já é vendido ou é possível que leve alguns meses até que ele sai para a casa do cliente?

Essa primeira análise vai impactar em outras questões: se um produto está sendo vendido muito rápido, é sinal de que há mercado e o preço está bom. Porém, a lucratividade está adequada? Muitas vezes você está conseguindo vender o produto apenas porque seu preço é imbatível. Tão imbatível que não cobre seus custos, ou seja, sinal de falência à vista.

Além disso, você está conseguindo repor o estoque? Nada mais frustrante que um cliente entrando em sua loja para comprar o produto que queria e ele estar esgotado pois você não conseguiu repô-lo. Quais as possibilidades de negociação com o fornecedor em busca de um melhor preço de compra?

Na outra ponta, você tem produtos que nunca vendem, ficando esquecidos no fundo do depósito. Quanto vale a pena mantê-los? É interessante seguir oferecendo um produto que não vende e está apenas representando dinheiro parado na prateleira? É um produto que compensa isso? Ele é um chamariz para outros produtos? Se um produto não vende, você deve avaliar retirá-lo do catálogo ou mudar seu status para “sob encomenda”, de modo que um eventual interessado possa encomendá-lo, invertendo a lógica que você praticava.

Esse mesmo raciocínio vale para produtos esgotados, que foram vendidos e você não repôs. Você ainda pretende trabalhar com eles? Há visitação para essas páginas? Dê uma olhada na situação desses produtos no Google Analytics e avalie se não é melhor retirá-lo definitivamente ou redirecionar os clientes para um produto similar.

Existe uma ferramenta chamada Curva ABC. Há bastante material na web sobre ela, mas de maneira resumida, é uma curva que determina os 20% de produtos mais importantes/rentáveis, seguidos pelos 30% e 50% de produtos menos importantes. Seu foco deve estar sempre na primeira porção, aquela que realmente faz sua loja ser viável. O Magento não tem essa ferramenta e pessoalmente não conheci nenhum módulo que fizesse isso. Ainda assim, vale a pena exportar os dados de vendas em um mês e avaliar como os produtos se comportaram segundo essa ótica.

Pra completar: como está seu estoque físico? Quero dizer, qual é a situação de seus produtos? Eles estão limpos, estão em ordem, as caixas estão bem cuidadas? Nada pior do que ter dinheiro parado na prateleira e ainda por cima, em uma situação de abandono. Cuide dos estoques assim como você cuida de sua carteira ou bolsa!

Trabalhando a gestão dos estoques
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)