Nesse novo tutorial do blog, uma série de quatro artigos sobre redes sociais e sua importância para interagir com os potenciais clientes de uma loja virtual. Se quiser saber mais, há outros artigos sobre o assunto, basta pesquisar por redes sociais.

Fábrica de dinheiro - imagem: Jayme Thornton

Quando você constroi um perfil em uma rede social, normalmente tentará impactar seus fãs em uma forma orgânica, isto é, sem nenhum custo. Quanto mais fãs impactar de maneira orgânica, melhor, pois não foi necessário investir nada além do tempo (seu ou do profissional contratado para isso). Porém, as redes sociais precisam fazer dinheiro de alguma forma e o modo que eles encontraram foi vender anúncios. Com isso, o alcance orgânico dos posts, especialmente no Facebook, é cada vez menor e se você quer mostrar seu conteúdo para mais pessoas, precisa pagar.

2) Formas de anunciar

Vou me ater às formas que o Facebook traz, por ser a principal rede social, a mais utilizada pelas empresas. Normalmente, você terá duas formas básicas para trabalhar:

  • Anúncios puros – são anúncios que podem ser colocados na lateral da página ou dentro da linha do tempo, apresentando sua empresa ou seu produto. Eles podem ter como objetivo a atração de novos fãs ou cliques que levem o consumidor à página da empresa.
  • Posts patrocinados – um post publicado em uma fanpage normalmente tem um alcance em torno de 5 a 10% dos fãs. Isto é, se sua página de fãs tem 1000 seguidores, normalmente entre 50 e 100 pessoas verão o post em suas linhas do tempo (e cerca de 2 a 5% disso clicarão no botão Curtir). Para mostrar sua publicação a mais pessoas, você pode pagar por isso.

Ao estruturar seus anúncios, você pode segmentar o público a ser atingido, como idioma, região de residência, faixa etária e interesses. Isso é somado ao objetivo de seu anúncio: por exemplo, você quer aumentar o número de fãs em sua página, na cidade de São Paulo, entre 18 e 24 anos. O caminho é construir um anúncio que foque nesse público e fazer com que ele seja mostrado a essas pessoas. Você define um orçamento, inicia a campanha e monitora na própria página do Facebook Ads Manager.

Por outro lado, você pode querer que uma determinada promoção seja mostrada a mais fãs que o alcançado pela exibição orgânica. Basta preparar o post normalmente, publicá-lo e definir como será feito o impulsionamento. Você pode também mostrar esse post para amigos de seus fãs (é por isso que vemos posts de páginas que sequer conhecemos, marcados como Patrocinadas e indicando que amigos curtiram aquela página).

3) Principais formas de interação

É interessante que você compreenda também as principais formas de interação nas redes sociais. A ideia é sempre a mesma, varia um pouco o formato. O Facebook, por exemplo, segue o conceito de fanpages ou páginas de fãs. É um perfil feito por uma empresa que permite que as pessoas se inscrevam para acompanhar o conteúdo postado por ela.

Ao clicar no botão Curtir, aquela pessoa é inclusa no elenco de fãs e passa a receber o conteúdo postado em sua linha do tempo. Como disse ali em cima, não é sempre que isso vai acontecer, pois o Facebook trabalha com a relevância do conteúdo, como veremos no próximo artigo. Você pode ter um perfil pessoal para sua empresa (onde um usuário pode solicitar amizade), porém isso vai contra as regras de uso do Facebook que separa claramente perfis pessoais e páginas de fãs.

Já o Twitter utiliza o conceito de seguidores. Você pode se inscrever para seguir o conteúdo daquele perfil e receber as atualizações. É o mesmo conceito do Instagram, onde você vê as imagens que seus amigos postam, e do Flickr. O Linkedin é mais voltado para interação entre as pessoas, com um foco no mercado de trabalho.

Redes Sociais e Lojas Virtuais – parte 2/4
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)