Este tutorial está dividido em quatro partes e fala das formas de publicidade para sua loja virtual. Até hoje, não escrevi muito sobre isso aqui no blog e portanto, para saber mais, minha dica é pesquisar artigos sobre o Google Adwords.

Nem só de Google Adwords vive a publicidade de sua loja virtual. É preciso pensar em uma estratégia integrada, de modo a abranger as diferentes partes do funil de vendas, aquela sequência onde um cliente descobre que tem um problema, conhece as possíveis soluções, elege um produto e por fim faz a compra desse produto.

Você deve pensar em ações que estejam em sintonia com cada uma das etapas e isso inclui tornar sua marca mais conhecida e conquistar o relacionamento com seu público-alvo.

Anúncios - imagem: Jean Pierre Lescourret

3) Banners em portais e blogs

Como comentei no primeiro artigo desse tutorial, você pode investir em anúncios em portais de conteúdo e blogs que sejam frequentados por seu público-alvo. Isso quer dizer não apenas com a Rede de Conteúdo do Google Adwords, mas também com anúncios comprados diretamente do editor do portal ou do blog.

O primeiro passo é listar os sites que são visitados por seu público e tentar entender qual é o relacionamento que pode ser feito com sua loja virtual e seus produtos. Seguindo no exemplo da loja de ferramentas para jardinagem, você pode eleger um blog ou canal no Youtube que fale sobre como é possível fazer coisas por conta própria (partindo da premissa de que uma parte desse público tem interesse em trabalhos manuais e moram em casas com jardins).

Nesse blog, você pode contratar banners onde apresenta sua empresa e mostra como suas ferramentas podem ajudar os leitores na busca por um jardim mais bonito e elegante, em um menor espaço de tempo, com menos esforço. A tarefa é difícil pois você não poderá colocar todas essas informações em um banner de 250x250px, mas a ideia é essa: em poucas palavras mais uma imagem você deve transmitir que sua marca tem a saída para um possível problema enfrentado por uma parte daqueles leitores.

Na esteira desses anúncios, você pode negociar um post patrocinado, isto é, um post escrito por você ou pelo próprio blogueiro, mostrando como usar seus produtos ou porque seu produto é interessante para resolver determinado  problema. Você pode sugerir um comparativo entre produtos similares, mostrando as vantagens e desvantagens de cada um. Você também pode enviar um produto para ser testado pelo blogueiro, para que ele apresente suas próprias impressões.

As possibilidades são diversas mas tenha em mente que na maioria das vezes você deverá estar trabalhando a ideia de como o seu produto pode resolver determinado problema. O foco não é a venda em si. O foco é um problema que deve ser resolvido e que o potencial cliente tenha isso em mente no dia em que ele tiver que resolver esse problema.

4) Redes Sociais

Da mesma forma, as redes sociais não devem ser usadas para venda direta, pois esse não é seu objetivo. Quando uma pessoa está em uma rede social, normalmente seu primeiro objetivo é o entretenimento, tendo contato com seus amigos, conversando com eles, mantendo-se atualizado sobre o que estão fazendo.

O mesmo vale para as marcas: uma pessoa que passa a seguir uma marca não quer necessariamente comprar seus produtos todos os dias, mas ter contato com a marca, dela receber atualizações e novidades.

Falando do Facebook especificamente, a construção de uma página de fãs deve ter essa ótica em mente. É preciso pensar em um espaço onde os fãs possam receber conteúdo útil sobre a marca e seus produtos, em uma base regular e que esteja de acordo com o que eles esperam. Dessa forma, na hora de eleger os fãs a serem conquistados, não dá pra pensar em um espectro muito amplo, pois pessoas diferentes, de classes e gostos diferentes, terão necessidades diferentes.

Isso não chega a ser um problema pois seu produto já deve ter sido pensado para um público-alvo determinado, assim como sua loja não deverá atender a todos indistintamente. É preciso apenas replicar esse conceito para a  página de fãs. Nessa linha, você deverá pensar em conteúdo agradável a essas pessoas e construir um relacionamento. No futuro, essas pessoas estarão mais abertas a comprar seus produtos, na hora que necessitarem ou surgir uma oportunidade.

Pegando essa parte específica, surgir uma oportunidade está relacionado a uma oferta, promoção ou condição favorável ao cliente que está pronto para a aquisição. Como nem sempre o Facebook vai mostrar seus posts para seus fãs, é preciso pensar em anúncios ou impulsionamento de postagens, de modo que sua oferta seja mostrada a mais pessoas que os 2 ou 3 por cento habituais.

Para concluir, é preciso pensar em outras redes, sempre com a mesma ótica. Se você for usar o Twitter, seus seguidores estão interessados em fatos rápidos sobre sua marca (e que normalmente levam a uma página em seu site ou blog com mais informações). Por fatos rápidos, você pode entender algo como “Conheça as 6 tendências que estarão em alta na próxima estação” ou “José da Silva mostra como usar os aparadores de grama de forma eficiente”.

O Instagram é conhecido por ser uma rede visual, da mesma forma como o Flickr envolve fotógrafos e pessoas que gostam de fotografias. O Pinterest serve como um filtro de conteúdo e o Linkedin como uma rede profissional. Você não precisa estar em todas as redes mas ser coerente com cada uma das redes em que entrar.

Publicidade em Lojas Virtuais – parte 3/4
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)