Casa própria - imagem: genteemercado.com.brSeguindo o assunto “lojas virtuais alugadas versus lojas virtuais próprias“, que comecei nesse post, o que é uma loja virtual própria? Quando ela deve ser utilizada? É verdade que quando eu desenvolvo uma loja virtual própria eu não tenho mais custos mensais de manutenção? Qualquer sistema de lojas virtuais serve?

Já comentei que há vários fatores envolvendo essa escolha, pois cada modelo tem vantagens e desvantagens e um deles pode trazer melhores resultados em casos parecidos. Antes de partir pra escolha de uma loja virtual própria ou alugada, você deve ter em mente o que espera do projeto: se ele é um projeto de curto, médio ou longo prazo, se você precisa de flexibilidade e integração com sistemas de controle externos, como ERP e CRM, o quanto de dinheiro você está disposto a investir no início do projeto, entre outras perguntas. Vamos ao modelo de lojas virtuais próprias.

  • o que é uma loja virtual própria?

Uma loja virtual própria é um sistema de comércio eletrônico em que você detém a propriedade dos arquivos onde ela está baseada. Ela pode ter sido desenvolvida exclusivamente para a sua empresa, pode ser um sistema proprietário, vendido para sua empresa, ou uma loja opensource, em que foi feito o trabalho de instalação e personalização do sistema. Em todos os casos, ela está instalada em um servidor contratado por você e com total acesso aos arquivos, o que permite que você mude sua estrutura para outro provedor ou faça modificações conforme as suas necessidades.

Esclarecendo: o Magento Commerce é uma loja própria, em qualquer uma de suas três versões. Na Community, que é gratuita, você tem acesso aos arquivos, pode instalar e utilizar onde quiser e por quanto tempo quiser. As versões superiores – Professional e Enterprise – apesar de vendidas por meio de licenças anuais são flexíveis e podem ser instaladas em servidores próprios, com acesso aos arquivos. Diferente de lojas alugadas, como o serviço Magento Go, você não depende da dona do software para manter o software funcionando.

Além do Magento, há outros sistemas opensource, como o Prestashop, ou diversos sistemas proprietários, desenvolvidos sob medida para sua empresa.

  • quanto custa isso?

Há duas possibilidades em relação a valores. Em casos de versões gratuitos, não há custo com a licença do software, o que não acontece nas versões pagas, onde há custos de licença, variando de uma única taxa a taxas mensais ou anuais. O maior custo no caso das lojas virtuais próprias está nos profissionais que instalarão e farão as configurações do sistema, desenvolverão layouts exclusivos e funcionalidades novas, além de trabalharem no cadastro dos produtos e treinamento dos usuários. O valor migra do software para o serviço de instalação e preparação para que sua loja venda mais.

Engana-se quem pensa que lojas próprias não têm custo mensal. Elas têm e podem facilmente ultrapassar as mensalidades de lojas virtuais alugadas. Esse custo mensal vem na forma de suporte técnico – para operação do dia-a-dia da loja, por exemplo -, rotinas de atualização e backups.

  • como escolher uma empresa de desenvolvimento de lojas virtuais?

Como em toda a área de web, o mercado de lojas virtuais é muito aberto e há empresas de todos os tipos. No ano passado, dei algumas dicas de como contratar profissionais em Magento Commerce que podem ser úteis. É importante se certificar de que a empresa tem experiência em lojas virtuais ou conta com profissionais que a tenham. Também é um grande diferencial empresas com visão de mercado, não apenas focada nos zeros e uns da área da informática.

Um conselho – e tomo a liberdade de chamá-lo de conselho: desconfie de preços muito baixos ou prazos muito curtos, especialmente em Magento Commerce, mas também em lojas virtuais movidas por outros softwares. Se você quer uma base de preço, eu me sinto seguro para dizer que na data desse post uma loja de pequeno porte, feita em Magento, varia de R$ 1.500,00 a R$ 3.000,00, com 40 a 50 horas de trabalho e em torno de 45 dias para ser feita. Uma loja de médio porte já tem valores bem mais elevados, consumindo pelo menos 120 horas de trabalho, valores a partir dos R$ 6.000,00 e com prazos mínimos de 60 dias, mas facilmente estourando 90 dias.

Isso não quer dizer que um profissional independente não possa praticar preços menores, mas reforço a dica para conversar bem com o profissional antes e certificar-se de quantas horas ele projetou para a sua loja e que ele tem os conhecimentos necessários para implantá-la com qualidade e seguindo as boas práticas de desenvolvimento.

  • quais são as vantagens das lojas virtuais próprias?

A vantagem óbvia é liberdade; liberdade de poder fazer modificações no software, adaptando-o às suas necessidades, além de poder carregá-lo para onde quiser, transferindo os arquivos de um servidor para o outro sem as amarras do provedor de serviços, no caso das lojas alugadas. Uma loja própria pode ser personalizada, modificada para se adaptar às diretrizes do projeto.

  • e as desvantagens do modelo?

Conforme o nível de personalização e o tamanho do seu projeto, há um alto custo inicial, despendido nas licenças de software, instalação e desenvolvimento, treinamento e pré-operação. Esse custo deve ser bem estudado, para se certificar que o prazo de retorno do projeto é viável. Além do custo, há um período de desenvolvimento, que faz com que a loja esteja plenamente operacional apenas após 60 ou 90 dias.

Reforçando, é preciso tomar cuidado com a falsa ideia de que uma loja própria não tem custo mensal. É preciso contratar um provedor de hospedagem – no caso do Magento, os planos iniciais dos provedores atendem apenas no início da operação; quando a loja cresce é preciso escalar e agregar mais recursos, e portanto mais custos. Além disso, uma loja virtual precisa de manutenção: rotineiramente, é preciso fazer o upgrade do sistema, introduzindo as correções necessárias para a segurança de sua loja, além de certificar-se de que os backups estão em ordem e que a loja está funcionado perfeitamente. Vale mais a pena investir em uma manutenção preventiva mensal que deixar tudo para a hora em que algo dá errado e uma manutenção corretiva é muito mais cara.

Assim como no post das lojas alugadas, pergunto: quais são suas dicas para contratação de lojas virtuais próprias?

Quando escolher lojas virtuais próprias?
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)