Assim como o post em que eu falei dos temas de Magento (e que aliás foi alvo de um curso que dei em São Paulo no final da semana passada), há um outro assunto que eu nunca conseguirei escapar: como contratar profissionais para desenvolver lojas virtuais com Magento. Falei disso algumas vezes nesses três anos e curiosamente nessa semana o último artigo que escrevi completa um ano! O título era justamente esse – como proceder na hora de contratar um profissional para desenvolver sua loja Magento – e eu apresentava seis itens, entre eles, garantir que haja uma estrutura mínima por trás do desenvolvedor e que ele tenha experiência com Magento.

Excesso de serviç o - imagem: John Lund e Drew Kelly/Blend Images

O gatilho para esse post foi uma reclamação feita na Comunidade Magento e que deu origem a uma discussão na lista de e-mails no Google (sim, eu acompanho a lista de e-mails, portanto cuidado com que o vocês falam de mim por lá, achando que eu não fico sabendo, :-D). A situação foi mais ou menos assim: um lojista contratou uma loja virtual Magento, pelo valor alegado de R$ 1.900,00 e um prazo de entrega de sete dias. O lojista pagou 50% do valor do serviço e depois de mais de um mês, a loja virtual não estava pronta e a relação entre profissional e lojista desgastou-se por completo. Irritado, o lojista fez um post na Comunidade Magento, mostrando a sua situação. Em seguida, o próprio desenvolvedor fez a sua réplica, colocando a culpa no outro lado. No final, a situação é sempre a mesma: perdem todos. E perdem porque faltou algo fundamental no começo de todo o processo: pesquisa e planejamento.

Essa situação é muito comum. Quando desenvolvia lojas, no começo do Magento, cheguei a ser processado por um cliente que alegava não ter recebido sua loja, mesmo tendo entregue tudo funcionando e no prazo. Seguidamente, recebo queixas de lojistas que aguardam suas instalações Magento há seis meses ou que já trocaram de desenvolvedor por mais de uma vez. É sempre muito complicado atribuir razão a um dos lados e ainda mais complicado querer resolver uma situação que já se desgastou por completo.

Como eu já escrevi para os lojistas, agora é a hora de escrever para os desenvolvedores Magento. Se vocês desejam ter sucesso em suas carreiras e crescerem com Magento, prestem atenção a esses seis itens:

  1. Não se julguem os todo-poderosos! Lojas virtuais vão muito além de um simples catálogo de produtos e se vocês ainda não mexeram com Magento, não vendam lojas virtuais que vocês não conseguirão entregar. Tenham certeza de que vocês dominam os requisitos necessários para construir a loja que seu cliente está pedindo e que se não dominam, contam com os parceiros adequados para isso.
  2. Ofereçam prazos realistas. Lembrem-se que vocês podem desenvolver uma loja virtual completa em 7 dias, se ela for simples e você tiverem todos os elementos necessários em mãos. Mas clientes não são elementos acabados, nem definidos; eles mudam de ideia a todo instante e quando a loja começa a tomar forma, eles querem mudar tudo. Contabilize esse comportamento nos prazos a oferecer e lembrem-se que imprevistos acontecem.
  3. Façam um planejamento prévio. Se o cliente não quis contratar consultoria para isso nem preparou um planejamento para montar sua loja, não comecem o serviço enquanto vocês não tiverem certeza do que deverá ser feito e como deverá ser feito. Quanto menos planejamento houver, mais complicadas serão as coisas e mais decisões difíceis terão que ser tomadas. Se vocês não sabem o que o cliente está procurando e o que ele espera obter como resultado, qualquer passo será complicado e uma potencial fonte de problemas.
  4. Lembrem-se que, nesse mercado, desculpas e prazos perdidos são comuns. Os lojistas estão cansados de ouvir os desenvolvedores dizendo que não conseguiram fazer os serviços, que não puderam entregar no prazo porque ficaram doentes, que um terceirizado não terminou a parte dele, etc, etc, etc. Pra evitar as desculpas, programem-se, organizem-se, coloquem prazos factíveis e cumpram. Para aqueles que têm dificuldade em se organizar, eu dou três dicas: Evernote, Wunderlist e Teambox (que já foi alvo de um post aqui no blog)
  5. Se vocês contratarem outros profissionais, lembrem-se que o serviço deles é responsabilidade de vocês. Não há nenhum problema em terceirizar parte do serviço, como o desenvolvimento de um módulo ou uma correção no tema do Magento. Porém, é preciso garantir que vocês conseguirão entregar o serviço se o profissional contratado desaparecer. O cliente não vai querer ouvir seus lamentos ao justificar que você pagou um alto valor por um profissional que não pode mais ser localizado.
  6. Por último, a burocracia é importante: se vocês não tiverem empresa formalizada, tentem ao menos registrar-se como autônomos na prefeitura. Façam um contrato antes de iniciar os serviços, discriminando tudo o que será feito, prazos, valores e formas de entrega, de modo que o produto possa ser mensurável. Distribuam os pagamentos de acordo com as etapas do serviço e se possível, de acordo com a medição do que foi feito. E ah, não envolvam seus parentes nisso: abram uma conta bancária em seu nome e recebam através dela. Suas famílias agradecem!

E você, tem mais alguma dica? Concorda ou discorda dos pontos acima? Desenvolvedores, quero ouvi-los…

Profissionais e Lojistas em Magento
1 voto, 5.00 média (92% pontuação)