Esse post foi inspirado em um post da Magento Specialists, uma empresa da Itália, e o post original em italiano pode ser lido aqui. Procurei manter a ordem dos itens e seguir parte do texto original, para trazer outros pontos de vista aos leitores do blog. Porém há muito mais itens quando se fala de uma loja virtual, como já mostrei em diversos artigos como a série de Planejamento de Lojas Virtuais.

Caravela - imagem: Jordi Paya Canals/FlickrVocê quer abrir uma loja virtual e está perdido? Não se sinta sozinho pois a maioria das pessoas não sabe por onde começar nem o que fazer quando se deseja abrir uma loja virtual. Como você já sabe, cada caso é um caso, mas vou procurar apontar e ilustrar os principais pontos para se iniciar uma loja virtual aqui no Brasil. Lembre-se: esse é só um roteiro e você deve buscar ajuda especializada, como contabilistas e consultores, para avaliar especificamente as características de seu negócio específico. Esse post foi dividido em duas partes e a continuação vai ao ar na semana que vem!

1) Questões legais

Não é porque sua loja é online que sua empresa tem que ser virtual. Sim, eu sei que o Brasil não estimula os empresários, não dá incentivo aos empreendedores e que nosso governo quer a sua fatia desde o primeiro dia de operação, mas não é ficando na ilegalidade que isso será resolvido. Se você vai abrir uma loja virtual, precisa ter em mente de que precisará ter uma empresa formalizada. Você precisa ter um endereço físico, um CNPJ e todas as demais inscrições e alvarás necessários à sua operação. Também deverá verificar como emitir notas fiscais e como será feita a contabilidade, quais os procedimentos para que você compre as mercadorias de seus fornecedores e venda para seus consumidores.

Infelizmente, ainda que não seja justo, se você começar a vender seus produtos sem ter uma empresa registrada isso pode te trazer muita dor de cabeça. Se você ainda não testou sua ideia e acha que o risco não compensa o investimento, melhore sua pesquisa de mercado, avalie como seus concorrentes estão se posicionando e converse com um contabilista para avaliar as formas mais baratas de operar legalmente na área em que você quer trabalhar.

2) Domínio e Hospedagem

Ter uma loja virtual não é de graça! Ainda que você instale e configure o Magento por conta própria, deverá investir em um provedor de hospedagem para sua loja. Conforme a plataforma escolhida, você pode escolher uma loja virtual sob demanda, onde você paga uma mensalidade fixa para ter a plataforma funcionando, ou contratar uma conta convencional de hospedagem. Nesse segundo caso, ainda é possível utilizar uma conta compartilhada (a mais comum nos provedores brasileiros), uma VPS, um Cloud Server ou Servidor Dedicado. Os custos variam bastante entre essas diferentes opções e se o site será hospedado no Brasil ou nos Estados Unidos.

O domínio é o endereço da loja, como minhaloja.com.br. Pense em um endereço fácil e que tenha a ver com seu negócio, mas lembre-se de que sua marca também é importante. Isso significa que talvez você deva ter dois ou três domínios registrados, sempre apontando para o domínio principal. Os domínios *.com.br podem ser registrados no Registro.br e custam R$ 30,00 por ano (com valores menores para registros mais longos).

De qualquer forma, não saia comprando domínios ou hospedagem antes de saber exatamente o que vai fazer. O melhor momento pra isso é quando o desenvolvedor for contratado, pois ele poderá auxiliar nesse processo e indicar as melhores alternativas.

3) Plataforma

Como adiantei no último tópico, há diversas opções e plataformas de lojas virtuais. Se você estiver começando e ainda não tem uma base sólida para prever o retorno do investimento ou o risco do negócio, é muito mais interessante começar com uma loja sob demanda, onde o seu investimento é baixíssimo, você mesmo cria a loja, e o custo é mensal. Se não der certo, basta fechar a loja. Se der, aí você pode pensar em fazer uma loja, maior, com a sua cara.

Entre as plataformas, há lojas virtuais proprietárias, em que você não tem acesso ao código e perde tudo ao romper o contrato com a empresa, e as lojas opensource, onde o sistema é instalado em uma conta de hospedagem da empresa contratante, que tem total acesso ao código e pode mudar de fornecedor quando quiser. Para saber mais sobre como escolher seu modelo de loja virtual, consulte esse post.

4) Tema

O tema é a cara que sua loja virtual terá, o layout, o design, o visual. Como falei em um post no começo do ano, há alguns tipos de temas para Magento e você deve verificar qual é a melhor escolha conforme a fase e as necessidades de seu negócio. Antes de abrir sua loja virtual, você já deve ter uma base de como será a cara de sua loja, o que seu público está procurando e como ele navegará por sua loja. Para lhe ajudar a escolher o tema, navegue pelas lojas de seus principais concorrentes e também dê uma olhada nos modelos disponíveis nas lojas de temas.

Um ponto é importante na escolha de seu tema: ele deve ser responsivo, isto é, deve se adaptar a múltiplos equipamentos e telas, seja monitores em computadores convencionais, seja laptops, tablets ou smartphones. O layout deve ser automaticamente redimensionado quando as telas são alteradas, de modo a buscar a melhor experiência, sem cortes ou elementos empilhados.

Pra essa semana, é isso. Semana que vem, no próximo post falaremos de catálogo de produtos, meio de envio e pagamento e manutenção de sua loja virtual!

Passo a passo para abrir uma loja virtual – parte 1
1 voto, 5.00 média (92% pontuação)