Em 2011, eu escrevi um post chamado Como Organizar seus Produtos em uma Loja Virtual. Nele, eu falava das formas de organizar a coleção de produtos que você vende em sua loja virtual, de modo que seja mais fácil para a pessoa mais importante em sua loja: o cliente. As coisas avançaram nesses dois anos, mas ainda há muito o que fazer. Por isso, resolvi reciclar esse post e trazer novos conceitos.

Organização de Produtos - Imagem: Melissa Ross/Flickr

Novos conceitos não seria a melhor expressão pois a ideia continua sendo a mesma: o Magento traz uma série de funcionalidades nativas para facilitar a navegação de seu cliente em seu catálogo de produtos, mesclando categorias e atributos, que podem ser usados em conjunto, diminuindo os passos necessários para se chegar no produto e melhorando a qualidade das escolhas que o consumidor faz. Menos passos e escolhas melhores têm impacto diretamente na taxa de rejeição e no tempo que os visitantes passam em sua loja.

1) Trabalhe os departamentos e categorias de forma correta

Categorias não devem ser utilizadas como infinitas seleções para abrigar tudo que seu catálogo de produtos possui. Em suma, elas devem ser apenas guias que orientam o consumidor em sua navegação até o produto da maneira mais simples possível. Isso significa que um máximo de três níveis continua valendo (Departamento -> Categoria -> Sub-categoria) e que a maioria das lojas não deverá passar de dois níveis. Os departamentos não podem ultrapassar uma linha do menu superior e precisam ser amplos e diretos ao mesmo tempo.

Como dividir corretamente seus departamentos e categorias? Isso apenas seu público poderá dizer. Uma loja de roupas infantis, por exemplo, pode adotar uma separação de Meninos e Meninas, como departamentos e dentro deles espalhar as categorias referentes a camisetas, calças, pijamas, etc. O consumidor que busca um presente para seu sobrinho poderá navegar diretamente entre os presentes relacionados a meninos. Mas outra configuração é possível: montar departamentos de Camisetas, Calças, Pijamas, sem categorias, e fazer a segmentação do sexo pelo atributo. Quem dirá qual é a melhor escolha é o público consumidor.

2) Utilize os atributos do Magento

Infelizmente a maioria dos lojistas não conhecem ainda o poder dos atributos e dos jogos de atributos. Atributos são voltados para o lojista, de modo que ele consiga descrever cada um de seus produtos de uma forma mais precisa, porém têm grande utilidade para os consumidores. Se configurados corretamente, os atributos podem ser utilizados na navegação em camadas, aqueles filtros que aparecem na lateral esquerda do tema padrão no Magento e praticamente eliminar o nível de categoria.

Na mesma linha do tópico anterior, ao invés de ter categorias Meninos ou Meninas, consumindo um nível no menu de departamentos, o sexo indicado para a peça pode ser tratado em um atributo. Quando o cliente clica no departamento Camisetas, ele já começa a ver as camisetas oferecidas na loja ao mesmo tempo em que é apresentado à opção de filtrar os produtos, vendo apenas itens para meninos ou para meninas. Voltando no exemplo que eu dei dois anos atrás, o tipo de uva pode ser trabalhado com atributos, no caso da venda de vinhos. Assim, um único nível de categoria Vinhos Tintos reúne todos os vinhos dessa especificação, com um atributo filtrável Tipo de Uva, na lateral.

3) Trabalhe corretamente as descrições

No Magento, é possível encontrar duas descrições: a resumida e a completa. Em meus cursos de Magento, digo que a descrição resumida é como os dez primeiros minutos de um filme, em que o espectador decide se continuará assistindo ou se procurará outra diversão. A descrição resumida deve ser curta e ter foco publicitário, vendendo aquele produto e mostrando para o que serve, de modo que o consumidor possa ver rapidamente se aquele produto está dentro das suas expectativas.

Já a descrição completa deve ser exatamente isso, completa, apresentando os detalhes do produto e suas especificações. Ao escrever as descrições, evite copiar as fornecidas pelos fabricantes ou, pior ainda, as descrições dos concorrentes. Se você precisa lançar sua loja rapidamente, invista nas descrições resumidas em um primeiro momento e simplesmente a copie para o campo Descrição Detalhada. Com a loja já no ar, estabeleça um cronograma e reescreva todas as descrições completas, de modo a ter conteúdo único e relevante.

4) Dê atenção às landing pages

Cada departamento (a categoria de primeiro nível) é uma nova página inicial e deve ter a atenção que merece. Invista tempo em cada uma dessas landing pages, colocando conteúdo de qualidade e organizado, mostrando aos consumidores o que eles encontram naquele departamento e em suas categorias e trazendo o que há de melhor por ali. Isso valerá tanto para reter clientes nessas páginas como atrair novos clientes com um melhor posicionamento no Google.

5) Lembre-se das histórias de consumo

Uma loja virtual não tem um vendedor físico para pegar o cliente pela mão e levá-lo até os produtos. Você precisa planejar isso com antecedência e conduzir o consumidor pelos produtos que você acredita que ele está apto a comprar. Coloque-se no lugar de seu cliente e busque entender quais são as coisas que ele compra junto e que tem interesse, de modo a montar o caminho a seguir por entre os “corredores de sua loja virtual”. Essa é a parte que dá mais trabalho, mas na hora que você descobrir quais são esses caminhos, a retenção e a conversão em sua loja aumentarão bastante.

Organizando seu catálogo de produtos
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)