Uma loja sem conteúdo é como uma caixa cheia de papel picado -0 imagem: Creative Crop, Getty ImagesÉ chavão, mas é a melhor expressão do objetivo desse post: qual é a finalidade de um casa sem móveis, vazia? Mais ainda, qual é a finalidade de um casa com móveis e objetos, mas sem pessoas, desabitada? Assim é uma loja virtual sem conteúdo, sem produtos, sem explicações, sem apelo. Porém, parece que todas as outras atividades são mais importantes do que a geração e construção de conteúdo de qualidade e relevante para seus produtos e sua empresa.

Falo bastante (ou melhor, apenas repito o que estudiosos dizem há anos e que é a mais pura verdade) que a concorrência agora é global. Você não compete com o seu vizinho de rua ou mesmo de bairro. O seu consumidor pode comprar o que ele quiser, em qualquer lugar do mundo e receber os produtos no conforto de sua casa. Se a concorrência é global, todos são cada vez mais parecidos e mínimos detalhes são sos responsáveis por uma conversão ou um abandono.

Não digo que as outras atividades como planejamento e estratégia, escolha da plataforma ou construção de um layout agradável e usável sejam menos importantes. Só defendo que o conteúdo deve receber seu devido valor. Se você fizer uma pesquisa rápida vai ver o quanto de lojas virtuais simplesmente copiam o conteúdo de outros lugares, seja do próprio fabricante, seja do concorrente. Algumas vezes copiam de lojas no exterior e nem sequer traduzem para o português. Como convencer um cliente de que sua loja é diferente se o seu conteúdo está lá no Google, idêntico ao de outras 30 lojas?

Você quer ter conteúdo de qualidade em sua loja virtual? Então vamos às dicas:

  1. Você já organizou seus produtos (antes de montar a loja, é claro). Sabe quais são as categorias, como os produtos estão agrupados e como eles se relacionam. Sabe seus pontos fortes e pontos fracos, onde estão os principais argumentos de venda. Reúna tudo isso, separe por produto e use como base pra produção dos textos.
  2. Escreva um texto voltado para a categoria ou grupo de produtos e use esse material em uma landing page. Sim, monte uma landing page para a categoria feita sob medida, não aquelas padronizadas dos softwares. Nessa home page, organize o conteúdo de forma que o cliente se localize e encontre o que está procurando, além de estar em contato com informações que o ajudarão a tomar uma decisão e a comprar de você.
  3. Separe as informações dos seus produtos em três grupos: informações básicas, curtas e que serão usadas como chamariz para o cliente, convidando a saber mais sobre o produto; informações de venda, que é o texto completo do produto, mostrando todas as suas características e dando suporte para o cliente decidir se aquele produto serve pra ele ou não; e por úlitmo, informações técnicas, que serão catalogadas por atributos, contendo todas as especificações do produto e que no Magento são usadas para comparar diferentes itens.
  4. Na hora de escrever os textos do item anterior, tenha em mente que eles devem atender a dois “públicos” diferentes. O primeiro público – e o mais importante – é o seu cliente, que quer entender o que está sendo exibido e saber porque ele deve comprar o seu produto. Ainda que o seu público seja técnico, não abuse de termos difíceis – e se for necessário, coloque um dicionário acoplado, daqueles que explicam ao palavra ao se passar o mouse em cima. O segundo público são os buscadores, que lerão o seu conteúdo e o associarão a palavras-chave, melhorando sua posição nas páginas de pesquisa.
  5. Use imagens de qualidade. Repito: use imagens de qualidade! Isso significa não usar apenas as imagens que o fabricante disponibiliza e jamais copiar as imagens de seu concorrente. Usar imagens de qualidade em lojas virtuais significa também que o cliente conseguirá ver os detalhes de seu produto e terá noção de tamanho e proporções, ainda que não consiga tocar o produto. Não abuse das imagens, para não acabar em redundância, mas busque mostrar o produto em situações do dia-a-dia, em como o produto pode ser usado na vida do consumidor
  6. Coloque produtos relacionados que tenham relevância. Isso ajudará não só a aumentar as vendas mas a dar uma base de comparação ao consumidor que poderá entender melhor quem são os produtos que se relacionam com o produto visto.
  7. Nessa mesma linha, invista em conteúdo comparativo entre produtos similares. Isso pode ser feito em texto, imagens, infográficos, whitepapers e vídeos. Mostre para o seu consumidor como aquele produto está inserido em sua categoria e porque ele pode (ou não) ser adequado ao consumidor

E por fim, uma dica extra: convide o seu consumidor a ser um provedor de conteúdo. Incentive seu cliente para que ele compartilhe suas experiências – sejam elas boas ou ruins. Esteja em contato com eles e dialogue sobre os produtos que você vende. Todos saem ganhando.

 

Sete dicas para ter um conteúdo de qualidade em lojas virtuais
3 votos, 5.00 média (96% pontuação)
  • Igor Brandão

    Boa tarde André.

    Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo post. Depois gostaria de saber se encontro um modelo de como fazer essas organização de informações.

    Abraços.

  • http://www.andregugliotti.com.br/ Andre Gugliotti

    Igor, não há um modelo, cada caso é um caso. Você deve pegar seu catálogo de produtos e verificar quais são suas características. Explico como montar um catálogo no capítulo 4 do livro Lojas Virtuais com Magento, talvez seja útil pra você.