Esse é o post em que meus leitores terão todos os motivos para me chamar de “O” Chato mas de vez em quando é preciso trazer alguns pontos polêmicos para o blog, sem falar meias-verdades. Que aqueles que se ofenderem possam me perdoar, 😀Marketplace e Dinheiro - imagem: Matt Hoover Photo

Recebo e-mails de todos os tipos: leitores desesperados pois seus desenvolvedores sumiram, lojas há um ano em operação que não vendem nada, lojistas querendo dar o próximo passo, desenvolvedores querendo saber mais sobre Magento e por onde começar. Porém, disparado, há um tipo de e-mail que não passo uma semana sem receber: os e-mails das ideias maravilhosas.

Lá em 2010, 2011, eram ideias mirabolantes, ligadas a segmentos específicos, novas ferramentas que seriam desenvolvidas em cima do Magento (e infelizmente, não vi nenhuma delas ir adiante). De uns tempos pra cá, no entanto, toda semana recebo um e-mail falando de uma grande ideia que fará muito dinheiro. A ideia é… é… um marketplace!

Sinceramente, não me importo de receber esses e-mails e não deixo ninguém sem resposta mas em certo momento eu acabo ficando triste. Triste pela ingenuidade e inocência de tantos empreendedores e triste porque nem 1% deles decide ir adiante ao perceber que o cenário é completamente diferente do que pensavam. Pra ajudar esses potenciais empreendedores, montei esse artigo. Espero que ao saber as 7 verdades sobre os marketplaces, você possa se planejar melhor e dar um rumo diferente à sua ideia.

1) Sua ideia não é única

Aliás, isso vale não só pros marketplaces. Empreendedores, levantem a cabeça e olhem pro lado. Sei que a ideia de um empreendedor é um filho querido e ninguém tem filhos feios. Ainda assim é preciso ter senso crítico. Vivemos em um momento em que as ideias únicas e exclusivas são raras. Pior, está cada vez mais difícil transformar uma ideia em uma oportunidade. Já é difícil se olharmos o mercado; então, não se iluda.

Olhe para os lados, assuma que sua ideia não é única, exclusiva, revolucionária e sensacional. Sabendo disso, procure por meios de fazer sua ideia diferente da concorrência. Procure formas de fazer com que o seu negócio – que  já existe e tem concorrentes – seja mais completo, mais eficiente, mais econômico, mais alguma coisa. Foque  nisso! Quando me falam de uma ideia única e exclusiva, dificilmente dou atenção. Mas se me falam de uma nova forma de fazer algo que já existe, a chance de levantar a cabeça e dedicar alguns minutos é bem maior.

2) Você não vai ficar milionário

Também não é só pra marketplaces mas é impressionante como quem traz ideias de marketplaces sempre quer ganhar um monte de dinheiro. Pior, sem trabalhar, pois a concepção geral é que basta abrir um marketplace, colocar vários vendedores e compradores ali dentro e viver de comissões. Não é assim que funciona. Seja sincero com você mesmo: quantos milionários você conhece? A regra não é ser milionário e nem estamos falando de pessoas gananciosas e mesquinhas que usurpam o trabalho dos pobres colaboradores.

Se você quer montar um negócio para ser milionário, há grande chance de que você não atinja o objetivo. Se você montar um negócio para fazer a diferença e mudar a comunidade onde vive, garanto que há muito mais chance de que consiga isso. E de brinde, ainda pode ganhar muito dinheiro.

3) Você terá que trabalhar muito mais do que em uma loja convencional

Esqueçam essa ideia de que montar um marketplace não dá trabalho! Que depois da loja no ar, você não precisará trabalhar. É justamente o contrário: marketplace dá muito mais trabalho e é um negócio muito mais arriscado. Você precisa batalhar diariamente para trazer novos vendedores para a loja e incentivá-los a colocar seus produtos e mantê-los atualizados. Você precisa batalhar diariamente para trazer novos compradores para sua loja, captando-os em diferentes lugares e mostrando que vale a pena comprar em seu shopping virtual.

Diferente de uma loja convencional, você não domina todos os elementos. Se um vendedor não está preparado para vender em seu marketplace, de nada adiantará ele estar ali. Será só uma loja com produtos feios, descrições malfeitas, imagens de baixa qualidade e pior, abandonado. Quem compraria em uma loja assim?

Esse é o começo! Até que você passe do ponto onde seu marketplace tenha um tráfego regular considerável, com pessoas buscando os produtos que seus vendedorem oferecem, e que isso os motive a dar atenção àquele pedaço de chão, vai muito tempo. Vai muito esforço, vai muito dinheiro. Você está preparado para trabalhar muito mais e colocar muito mais dinheiro que em uma loja virtual convencional?

4) A maioria dos segmentos já está dominada

Escolha 5 segmentos de mercado e busque no Google. Sem contar o onipresente Mercado Livre, você encontrará pelo menos mais dois competidores de peso no segmento. Estou falando de marketplaces! Pense em moda, lá estão. Artesanato, também. Pets, tem. Máquinas, positivo. Eles podem estar disfarçados de classificados mas sempre haverá um site reunindo outros fornecedores e fabricantes, no estilo de um marketplace.

Por isso, se você tem certeza de que quer um marketplace, pense em como você se posicionará dentro dos segmentos já existentes. Quer vender roupas? Escolha algum nicho dentro de roupas, por exemplo, roupas para gestantes. E foque nisso, de verdade. Busque fornecedores que sejam especialistas em roupas para gestantes, traga fabricantes que tenham bons catálogos nesse nicho, trabalhe o sistema e o conteúdo para que seu marketplace seja forte em roupas para gestantes. Ainda assim, prepare-se para aguentar o tranco.

5) Um marketplace é muito mais caro que uma loja convencional

Não dá pra simplesmente pegar o Magento e fazer dele um markeplace. É preciso implantar ao menos um módulo, que adicione a estrutura para controlar os vendedores, permitindo que eles cadastrem seus produtos e vejam seus pedidos. Porém, isso é só o começo da história. Pior, os dois únicos módulos viáveis atualmente, os Unirgy uDropship e uMarketplace, precisam de diversos ajustes e correções, antes que possam funcionar adequadamente no Brasil. Só isso, já faz com se gaste 10 vezes mais que o valor do módulo em correções e adequações.

A isso, some o método de pagamento. Você precisa dividir o dinheiro: na hora do pagamento, o marketplace recebe o valor da comissão, o vendedor recebe o restante mais o frete. Se isso não é feito automaticamente e você precisar passar o dinheiro todo por sua empresa, pagará um monte de impostos ou terá problemas com o Fisco. Hoje, apenas dois ou três métodos de pagamento – todos facilitadores – permitem isso e não é simplesmente pegar o módulo que já existe e ligar.

É preciso instalar módulos de pagamento específicos, conectados a ambientes específicos, além da homologação e setup. Um dos facilitadores cobra R$ 15.000,00 apenas pelo setup, fora todo o trabalho de instalação e homologação.

Pra completar, nós só falamos da parte marketplace do negócio. Você terá todos os custos de desenvolvimento de uma loja convencional mais o que citei acima. Dá pra entender que você não terá o seu marketplace com 5 mil reais (e nem mesmo com 30 mil reais). Ah, mas o filho do meu vizinho sabe mexer com Magento e ele faz o meu marketplace se eu comprar o módulo. Pra você, o meu boa sorte!

6) Você é responsável solidário pelas vendas

Esqueça essa história de que você é só o meio onde a transação ocorre e toda a responsabilidade é do vendedor. Não é porque está escrito no rodapé que você não tem nada a ver com a venda que um juiz deve concordar. O marketplace é seu e você é responsável solidário pelas vendas. Se o vendedor não entregar o produto, ou entregar com defeito, ou entregar atrasado, ou se recusar a aceitar o direito de arrependimento e outros tantos ses, você deve agir para resolver o problema.

Isso já seria necessário do ponto de vista legal mas é ainda mais necessário do ponto de vista de marketing. O Mercado Livre ainda tem uma imagem arranhada por conta de vendedores que não entregavam os produtos, mesmo que o Mercado Livre em si não possa garantir isso, já que a negociação é sempre entre vendedores e compradores. Resumindo, não é esquecer o marketplace lá, no piloto automático; você precisa agir para garantir que tudo está correndo bem.

7) É preciso se preparar para jogar como time grande

A última verdade é um complemento das verdades 3 e 5. Você precisa se preparar para pelo menos dois anos de batalha. Pelo menos! Isso envolverá todo o custo de desenvolvimento e implantação, mais a manutenção disso no período, mais o marketing e promoção. Isso custa dinheiro. Você pode optar por fazer algo mais conservador, com custos mínimos, em escala pequena. Ok, é uma escolha porém o risco é ainda maior, pois nesse mercado ou se entra pra jogar grande ou não se entra.

Depois dessas 7 verdades sobre os marketplaces, espero que você não desanime totalmente. Meu objetivo será cumprido se você compreender esses pontos e adequar seu modelo de negócio. Tem uma oportunidade nas mãos? Pense em como você pode atender com uma loja virtual convencional e você terá muito mais chance de sucesso.

As 7 verdades sobre marketplaces
2 votos, 5.00 média (95% pontuação)