Empreendedorismo - imagem: Free Images

Muitos anos atrás (não sou tão velho, mas tive a felicidade de ter meu primeiro grande tombo com 23 anos), eu não tinha a ideia do que era o empreendedorismo. Não que ele ainda não existisse, não que ele não fosse importante, não que não houvesse pessoas que falassem sobre essa estranha missão. Simplesmente, a palavra empreendedorismo não era tão difundida e, por outro lado, eu não tinha muita ideia do que era montar uma empresa e empreender.

Naquela época, ainda que eu tivesse todas as ferramentas pra fazer as coisas do jeito certo, não soube usá-las. Ainda que a oportunidade fosse boa, o mercado não perdoa a inexperiência. Ainda que as cartas estivessem claras na mesa, se você não sabe jogar, será sempre o perdedor.

Por que começo dizendo isso? Porque quinze anos depois, vejo os mesmos erros que eu cometi quando não sabia o que era ser empreendedor sendo cometidos por tantos outros potenciais empreendedores. As mesmas coisas que eu fazia “pensando que abrir uma empresa era fácil e que eu seria bem sucedido” são repetidas por tantas outras pessoas que poderiam ter sucesso e que se arrebentam por acreditar nos mesmos mantras que eu acreditava.

O primeiro grande passo pra quem quer empreender é compreender o que isso significa. Empreendedorismo não é palavra de moda, não é algo que se compra no supermercado para exibir para os vizinhos. Empreendedorismo é a capacidade de trabalhar pra juntar peças isoladas e construir algo que será útil para a sociedade. É largar a vida cômoda de empregado (calma, falo mais daqui a pouco) e assumir uma série de riscos em um ambiente hostil como o mercado brasileiro. É entender que uma série de pessoas dependerá de você e que em último caso, você terá que resolver uma bomba, mesmo que seja às 2 da manhã.

É preciso ter sangue frio para lidar com as mudanças. Se simplesmente mudamos ao sabor dos ventos, não aproveitamos as melhores oportunidades, pois elas se revelam para aqueles que confiaram em seu instinto e se posicionaram no lugar certo, na hora certa.

Empreender é ter a capacidade de largar tudo e investir naquilo que se acredita. Mas não de qualquer jeito. É largar tudo sabendo o que se está fazendo, seguindo um plano, havendo em mãos os recursos que se farão necessários e sabendo onde conseguir aquilo que ainda não está disponível.

É não trabalhar pelo dinheiro! Sim, essa é a mais difícil de todas, pois o dinheiro é a medida de nossa sociedade. Sempre foi, não é uma praga dos dias atuais. Ninguém é louco de dizer que não precisa de dinheiro (e os que dizem estão mentindo!). O ponto é que o verdadeiro empreendedor não faz tudo por dinheiro e não quer o dinheiro todo pra ele. É uma roda em que se os outros ganham dinheiro, o empreendedor também ganha e ganha mais ainda.

Quando se é empregado, é difícil dar-se conta de tudo que acontece nos bastidores. Normalmente, o pensamento é o clichê: “o patrão é malvado e ganha um monte de dinheiro às custas do meu trabalho”. Ou então: “se eu abrir uma empresa, poderei trabalhar quando quiser, como faz o meu patrão e ganharei muito mais dinheiro”. Explicando o que quis dizer ali em cima com a vida cômoda, quero mostrar que como empregado, na maioria das vezes cuidamos apenas da nossa parte, com responsabilidades definidas e riscos muito baixo. Se olharmos para o dono da empresa, ele muitas vezes estará trabalhando nas horas em que os empregados estão se divertindo e está assumindo o risco de ter que botar seu patrimônio na empresa para pagar os salários, mesmo se a empresa estiver indo mal.

Partimos do conceito errado que empregador é vilão e empregado deve ter todos os direitos, é sempre a parte mais fraca. Mesmo assim, com tantos benefícios, vemos uma série de pessoas mal humoradas na segunda-feira de manhã, reclamando de ter de ir trabalhar e pensando que ter a própria empresa é a saída para esse “grande problema”.

Onde quero chegar? Simples, empreender é um estilo de vida. Ele não depende de você ser empregador ou empregado e sim de como você encara o trabalho. Se você não gosta de seu emprego atual, seu problema pode ser o emprego e não o título em seu cartão de visitas. Quando você decidir empreender, tenha a certeza de que compreendeu o que é ser empreendor, que estudou e planejou a mudança, que aplicou esse comportamento em seu trabalho atual, fez com que o empreendedorismo fizesse parte de seu estilo de vida.

Se você fizer isso, começar seu próprio negócio será algo tão natural que você nem perceberá quando o sucesso chegar, pois ele já terá chegado no primeiro dia de trabalho!

O que eu aprendi: Empreendedorismo
1 voto, 5.00 média (92% pontuação)