Economia - imagem: cntu.org.brO Brasil está vivendo um bom momento. Não é o crescimento chinês, nem o necessário para tornar o país rico, mas é o melhor período em muito, muito tempo. Quando as coisas vão bem, normalmente não damos os devidos cuidados a pequenas coisas que, por hora, são apenas isso, mas com o tempo podem se converter em grandes dores de cabeça.

O comércio eletrônico está bombando e a falta de profissionais para desenvolver boas lojas é visível. Desde outubro eu não trabalho mais diretamente com o cliente final, mas ainda recebo muitas consultas sobre desenvolvimento de lojas e uma queixa comum: “o profissional que eu contratei não consegue me atender e está transformando a construção da minha loja em uma tragédia”.

Mas essa não é a maior questão! Vejo muitas pessoas não dando o devido cuidado a uma parte importante da empreitada empresarial, o planejamento estratégico. Antes de se iniciar qualquer operação é preciso estudar, analisar, planilhar, fazer contas, testar. Sempre é melhor perder dois ou três meses e algumas centenas de reais antes de se começar a operar, do que investir mais dinheiro, mais tempo, encarar a burocracia brasileira e se arrebentar em pouco tempo.

Hoje no “Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, foi passado um dado de que em 2010 apenas 22% das empresas não conseguiram chegar aos dois anos de vida. É um número fantástico, já que mesmo em economias desenvolvidas o número gira em torno de 40%. Isso não nos dá licença pra começar novas empresas sem planejar. Acrescento: sem planejamento, mesmo que você esteja entre as 78% das empresas sobreviventes, haverá sempre um desperdício e uma chance a menos de ser maior e gerar ainda mais desenvolvimento.

Então, não aja exclusivamente por impulso. Se você quer aproveitar o bom momento da economia, vamos a algumas dicas:

  • comece agora, fazendo cursos, assistindo palestras, lendo, conhecendo a parte técnica do seu mercado; há muita coisa boa de graça e a internet facilitou o acesso a muito conteúdo interessante (sem esquecer o filtro crítico, pra separar o que é bom do que é ruim, é claro)
  • deixe a preguiça de lado e vá conhecer o seu consumidor, conversar com seu cliente, perguntar a ele o que ele quer e qual a melhor forma de vender o seu produto
  • faça contas, verifique quanto de dinheiro você vai precisar pra ver se você consegue assumir sozinho ou se você precisará de sócios ou de empréstimos
  • não esqueça do fluxo de caixa, necessário para o dia-a-dia da empresa; se você só tiver dinheiro para o fluxo de caixa, recorra a empréstimos para maquinário ou imobilizado, já que sempre sai mais barato
  • ao recorrer a empréstimos, certifique-se de que sua operação gerará caixa suficiente para pagar as parcelas
  • prepare-se para agir antes que as coisas aconteçam; é sempre melhor antecipar um problema do que resolvê-lo depois que ele já está atrapalhando suas vendas
  • se você não quiser investir no desenvolvimento de uma loja quando não tem certeza das condições do mercado, alugue uma; o Uolhost tem bons planos de lojas virtuais sem carência, ou seja, você tem a sua loja pronta e pode desistir dela caso não dê certo a sua ideia

Uma última dica que é muito válida e causa da maior parte das frustrações: depois que você for dono da sua empresa, você trabalhará mais do que quando era empregado. Você não terá mais um chefe apenas, mas vários deles na forma de clientes, o horário fixo já não existirá e você vai trabalhar mais horas do que trabalhava antes, sem horário pra entrar ou sair. Coloque tudo no papel, reflita, teste e mãos à obra.

Cuidados ao se abrir uma loja virtual
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)