A Cauda Longa - imagem: SubmarinoEsse foi um livro que eu demorei pra ler e demorei para escrever uma resenha. Explico: não demorei pra ler o livro, mas levei muito tempo entre o lançamento do livro e sua leitura. Também não demorei pra escrever o post em si, mas demorei muito tempo entre ter lido o livro e escrito essa resenha. Apesar do livro ter sido lançado em 2006, só fui lê-lo em 2011, durante a pesquisa para o TCC, em minha especialização.

E de 2011 pra cá já se passaram 3 anos até que eu escrevesse essa resenha. Tempo demais para um livro importante como “A Cauda Longa”, de Chris Anderson.

A teoria formulada por Chris Anderson, editor da revista Wired, não é uma novidade e na realidade é muito simples: se você se especializar, você consegue concentrar seus esforços em um determinado segmento de mercado. Quando os esforços são concentrados, a chance de você ser eficaz cresce pois o desperdício é menor e o resultado pode ser melhor. A grande diferença entre o que se praticava antes e o que Chris Anderson propõe é que agora a escala é mundial, através da internet.

O início de tudo está na indústria do entretenimento. Para se fazer dinheiro com músicas e filmes, era preciso criar hits, grandes produções que criassem uma demanda forte o suficiente para cobrir os custos e ainda gerar retorno. Parece óbvio que a maior parte dos intérpretes e diretores de cinema não teriam produtos que atendessem a essas exigências e por isso, jamais conseguiriam distribuir seus produtos. Com a internet e a auto-produção, isso mudou: vídeos postados no Youtube atingem públicos específicos ao redor do mundo e com a soma de poucas pessoas em muitos lugares, a escala necessária é atingida.

Porém, o melhor desdobramento da teoria da Cauda Longa está nas próprias lojas virtuais. Os grandes magazines, lojas que vendem de tudo, batem cabeça a todo instante para atingir seu público e guerreiam constantemente pelo melhor preço e prazo de entrega.

Uma pequena empresa jamais teria condições de vencer se jogasse o mesmo jogo que os grandes jogam. A saída é se especializar. Uma vez que sua empresa é focada em um determinado produto e conquista respeito entre seus consumidores pelo conhecimento acumulado e transmitido, isso pode ser traduzido em consumidores fiéis e preços melhores. Vale mais a pena ser especializado e reconhecido em um determinado segmento do que tentar vender de tudo e não conseguir ser bom em nada.

Se você ainda não leu e ainda tem dúvidas sobre a eficácia do conceito apresentado pelo Chris Anderson, não perca mais tempo. Compre já o livro e abra a mente para suas ideias. Sua loja virtual agradece!

Livro: A cauda longa
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)