Pensando em contratar profissionais para sua loja virtual - imagem: Norbert Schaefer

Volto a mais um dos temas que podem passar anos, mas sempre estará em destaque quando se fala de lojas virtuais: como contratar profissionais?

Esse é um problema quando se fala de profissionais para desenvolver uma loja, para aplicar customizações e melhorias, para dar suporte e manutenção. Segue pela questão de profissionais para tocar o dia-a-dia das operações, colocando produtos, pensando no marketing, auxiliando os clientes, gerenciando os pedidos. Termina na questão da estratégia, pensando no futuro de sua loja virtual.

Quando se refere aos profissionais, já falei algumas vezes no blog e há muito material por aí. Não vou voltar nele, mas reforço a minha percepção: temos muitos profissionais bons no mercado brasileiro. Ao mesmo tempo, temos muitos ruins, que pensam ser ótimos e que valem milhões, mas não conseguem dar conta de tarefas um pouco mais avançadas. Minha ideia aqui é falar de um outro problema que tenho sentido: você, como empresário, está pronto para contratar profissionais?

Minha percepção está baseada em um simples fato: a maioria dos clientes que entra em contato comigo e que não fecha, acaba voltando depois de um tempo. Esse tempo varia entre poucos semanas e até mesmo anos. Há potenciais clientes que entraram em contato comigo em 2011, não fecharam nenhum serviço naquela época e hoje me escrevem pedindo socorro, com os mesmos problemas de cinco anos atrás. O que aconteceu nesse meio tempo?

Para um tipo de lojista, ele tentou fazer o certo, foi atrás das informações necessárias, até chegou a contratar os serviços de outros profissionais, mas não conseguiu encontrar o rumo, seja porque seu mercado é competitivo, seja porque foi mal assessorado, entre tantas outras possibilidades. Esse tipo de cliente costuma aprender com os erros e desiste de bater a cabeça na parede, buscando ajuda de verdade. As chances de ele acertar a partir de agora são grandes.

Meu receio é que uma grande parte dos casos é de um outro tipo de lojista. Veja suas características:

  • Ele não aceita seus erros – não importa o que ele leia ou um consultor diga para ele. Ele está sempre certo, todos seus erros são culpa dos outros.
  • Seu produto é sempre maravilhoso – e vale o quanto ele pede, da maneira como ele apresenta. O produto vende sozinho, o mercado é que não está sabendo comprar.
  • Ele quer cobrar caro por seus produtos, porém não aceita pagar pelo serviço dos outros – qualquer serviço de consultoria é muito caro e qualquer profissional está cobrando muito por um serviço simples de fazer.
  • Sua empresa nunca tem dinheiro pra nada – por isso, ele precisa que os profissionais cobrem menos por seus próprios serviços
  • Ele sempre tem uma proposta maravilhosa – como sua loja será grande como a Netshoes, todos devem trabalhar por ele, pensando no futuro, em como poderão “se dar bem”, em um futuro próximo.

Infelizmente, por conta desse comportamento, nossas lojas virtuais são uma pequena fração do que poderiam ser. Precisamos lembrar que pra ganhar dinheiro é preciso investir e isso se traduz em contratar bons profissionais. Para ser um bom profissional, é preciso estudar, é preciso ler, é preciso fazer experiências e isso custa tempo. Como você já sabe, tempo é dinheiro. Bons profissionais custam caro mas se pagam, com a experiência que agregam ao seu negócio.

Se sua empresa é nova, está começando e não tem dinheiro para pagar bons profissionais, você precisa assumir isso. Por assumir, entenda que você terá que fazer o que eles fariam e isso pressupõe ler, testar, aprender, buscar conhecimento. Ir atrás de soluções que não necessitem de conhecimentos avançados e abrir mão de estratégias que dependam desse tipo de profissional. Mas alguém vai ter que fazer o trabalho e se o profissional não pode ser contratado por falta de verba, é sua missão como dono da loja virtual fazer isso, com a mesma qualidade que os bons profissionais fariam.

O melhor de tudo é fazer um planejamento correto e determinar exatamente que recursos serão necessários. Pegando esses casos em que a loja foi iniciada em 2011 e até hoje está com problemas no layout, falhas nos módulos e, provavelmente, um marketing defeituoso. Quanto de dinheiro foi colocado ali e quanto de dinheiro deixou de ser arrecadado? Será que esse valor não teria pago um bom profissional no começo da história?

Pra arrematar, ter uma loja virtual não é uma diversão. É preciso começar a levar o negócio a sério para que mais e mais empregos sejam gerados e que cada uma delas possa ser um verdadeiro gerador de riqueza em nossa economia.

Contratando profissionais para sua loja virtual
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)