Você quer abrir uma loja virtual e não sabe como? Essa série de seis artigos apresenta os passos que se deve percorrer para montar uma loja virtual de sucesso. O caminho não é simples, mas se você tiver disciplina e paciência, suas chances aumentam muito e sua loja vai vender mais! Confira os outros artigos nos links ao final desse post.

Finalmente, chegamos ao último artigo dessa série. Se tudo correu bem, nesses 45 dias você conseguiu avaliar sua situação, compreendendo como você está inserido em seu ambiente, o que deseja, quais seus anseios e objetivos. Trabalhou também o mercado, com seu produto e seu público-alvo, entendendo o que você vende e para quem. Colocou suas forças e fraquezas no papel, junto com as oportunidades e ameaças que o mercado traz, além de declarar uma missão e uma visão a serem seguidas nesse caminho.

Você estruturou seu catálogo de produtos, com atributos, jogos de atributos, departamentos e categorias; definiu que tipo de loja usar, entre fazer parte de um marketplace, alugar uma loja ou partir já para a construção de uma loja própria, trabalhou o design e contratou o fornecedor da solução ou o desenvolvedor de sua nova loja. Vamos agora aos últimos passos, que apesar de ocupar apenas um artigo nessa série não são menos importantes ou complicados.

 

Construção da loja virtual - imagem: Darren Kemper/Corbis

13) construção da loja virtual

Muitos lojistas pensam que uma vez assinado o contrato, não precisam fazer mais nada. Basta esperar sentado a agência desenvolvedora trabalhar ou até mesmo o provedor da plataforma, entregando sua loja milagrosamente pronta depois de um determinado período. Nada mais longe que a realidade. Depois de assinado o contrato, o lojista deve ter papel ativo na construção da loja, acompanhando e discutindo cada passo, garantindo que as coisas saiam corretamente.

Vamos dividir essa seção em outras duas partes. Primeiro, se você contratou um fornecedor de lojas virtuais, alugando sua loja, todo o trabalho depende de você e para isso, será necessário:

  • Aprender a mexer na plataforma – perca mais algum tempo (mesmo que você já tenha perdido antes) para entender como a plataforma funciona, quais são os recursos presentes em seu plano (muitas vezes, a versão demonstrativa é completa, com mais recursos que o efetivamente contratado) e para reavaliar todas as possibilidades.
  • Cadastrar seus produtos – montando jogos de atributos, com os atributos que estão relacionados a seu catálogo, criando os textos descritivos (tanto a descrição rápida como a descrição completa), colocando as imagens e organizando a navegação, com departamentos, categorias e filtros de navegação.
  • Organizar o layout – escolha um tema, selecione suas cores, coloque um logotipo, monte os menus.
  • Organizar o conteúdo institucional – sua loja precisa ter algumas páginas dizendo quem ela é, sua política de vendas, sua política de privacidade e como comprar.
  • Preparar a publicidade interna – monte os banners para a home page e, se desejar, coloque também alguns banners laterais.
  • Testar tudo antes de lançar – isso significa que você deve testar em sua máquina, com diferentes navegadores, e também pedir para outras pessoas testarem, em diferentes computadores, além de tablets e smartphones.

Se você decidir construir sua própria loja virtual, uma parte desse trabalho passa para a empresa de desenvolvimento, embora isso não é uma regra. O catálogo, por exemplo, na maioria das vezes segue sendo responsabilidade do lojista. Alguns itens que merecem ser listados são:

  • Determinar um prazo para o projeto – tenha um prazo e o revise semanalmente em conjunto com o desenvolvedor.
  • Ter as tarefas determinadas desde o início – com data e responsável, de modo que se saiba quem deve fazer o que, quando e em que ordem.
  • Fazer uma reunião semanal – que não precisa ser presencial, pode ser pelo Skype ou telefone. Essa reunião pode durar 15, 20 minutos ou até mesmo 2 horas mas deve ser feita, nem que seja apenas para revisar o que está sendo feito.
  • Não ter medo de perguntar – infelizmente, o “eu achava que” é a maior causa de conflito entre lojistas e desenvolvedores, pois um acreditava que o outro já soubesse. Mesmo que seja algo já comentado mas que ainda gere dúvidas, pergunte. A mesma regra vale para os desenvolvedores que devem perguntar três, quatro vezes a mesma coisa se necessário, para evitar retrabalho.
  • Não deixar chegar a data de lançamento para assumir a loja – um mês antes do lançamento, se você já tiver acesso ao painel, comece a navegar e verificar como as coisas estão sendo feitas. Certamente você deve ter cuidado para não quebrar as coisas que o desenvolvedor fez mas é um conhecimento que será útil.

14) plano de marketing

Enquanto sua loja está sendo desenvolvida, há um outro ponto fundamental a trabalhar: o plano de marketing. Não pense que basta abrir sua loja virtual para os clientes “fazerem fila na porta” e quererem comprar todo seu estoque. Já falei aqui antes, se você não investir em publicidade, sua loja será como um ponto comercial em uma rua sem saída em um canto perdido da periferia de uma cidade. Ninguém vai achá-la, ninguém vai vê-la e você não venderá nada.

Portanto, pegue o seu planejamento e comece a pensar nas ações para atrair seu cliente. Vou dar algumas sugestões:

  • Já crie seus perfis nas redes sociais – faça sua fanpage no Facebook, seu perfil no Instagram, no Twitter, no Pinterest e em quantas redes estiverem dentro de seu mercado. Comece a “recolher” seguidores, através de campanhas pagas, segmentadas conforme seu público e já comece a interagir com eles.
  • Se sua empresa for ter um blog, comece a escrevê-lo – é uma forma de já começar a aparecer no Google e também angariar leitores.
  • Inicie uma campanha na Rede de Display do Google Adwords – faça uma landing page institucional e atraia visitantes para ela usando a Rede de Display, aqueles anúncios gráficos em sites e portais, fornecidos pelo Google Adwords. Não os atraia com promessas de venda de produtos mas sim mostrando que uma nova loja será lançada em breve. Isso servirá para ajudar na fixação da marca.
  • Use a landing page para captar e-mails – ofereça um cupom de desconto no lançamento, convidando o visitante a deixar seu e-mail.
  • Prepare a promoção de lançamento – o que você pode oferecer para seus clientes no dia e na semana de lançamento? Converse com seus fornecedores, busque descontos para uma determinada quantidade a ser oferecida no lançamento, monte kits e conjuntos a serem vendidos com desconto e ofereça brindes.
  • Prepare os anúncios a serem exibidos no Google Adwords – aliás, você deve fazer isso com dois ou três dias de antecedência, já deixando as campanhas prontas e pausadas para que o Google tenha tempo de aprová-las e você possa usá-las desde o dia de lançamento.

Há uma série de outras ações possíveis e elas deverão ser adaptadas ao seu público e produto. O que deve ficar reforçado aqui é: não espere o lançamento para começar a trabalhar sua publicidade.

15) preparação para o pré-operacional

Você não deve lançar sua loja de repente, isto é, não deve sair do zero aos 100 em 5 segundos, como se fosse um carro esportivo. É preciso fazer o que chamamos de período pré-operacional, um período de ao menos 15 dias para ser usado como uma operação assistida, em conjunto com a agência, para poucos clientes (se possível). Dessa forma, você tem um tempo para testar sua loja, sem que haja um grande fluxo de clientes, o que poderia potencializar uma falha pequena, que tenha passado despercebido.

Aliás, nem é o caso de falhas pequenas que passam despercebidas pois há diversas coisas que só podem ser testadas em um ambiente real e outras tantas que só aparecem quando são feitos testes em maior escala, além daquels feitos em ambiente de desenvolvimento. As boas agências têm uma rotina de homologação, um roteiro a ser completado antes da loja entrar nesse pré-operacional, já corrigindo diversos pontos que acabam ficando para trás mas é inevitável que ainda assim sobrem falhas a serem corrigidas nesses quinze dias (e algumas outras falhas menores nos primeiros meses de operação).

Especificamente, o que deve ser feito no pré-operacional? Vamos aos tópicos:

  • Os principais testes devem ser feitos pelo próprio lojista – e você deve cumprir o ciclo completo de vendas para saber exatamente o que seu consumidor vai encontrar. Entre pela home page, navegue pelas categorias, faça uma busca, coloque o produto no carrinho, vá para o checkout, faça seu cadastro, escolha um meio de envio, escolha um meio de pagamento, revise e complete o pedido. Veja se a página de sucesso está correta, se os e-mails chegaram na conta do cliente e também na conta de e-mail do lojista. Veja se a área restrita do cliente está em ordem e se o pedido aparece corretamente em seu painel de administração.
  • Refaça os testes, alterando as variáveis – mude o navegador, faça um cadastro, clicando direto no Cadastrar (não pelo checkout) e veja se tudo funciona corretamente. Escolha outro produto (normalmente, colocam-se dois ou três produtos com valor de R$ 1,00), escolha outro meio de envio e outro meio de pagamento. Tudo continua funcionando?
  • Peça pra duas ou três pessoas de sua confiança fazerem os testes – assim, você poderá ter outras opiniões e também testar outros ambientes e navegadores.
  • Para todos os testes, faça imagens das telas – isso é importante para seu controle e também para discutir com o desenvolvedor, especialmente quando acontecerem os erros. Nos prints, mostre o endereço da página, para que ele possa saber o que estava sendo solicitado. Procure se lembrar o que estava fazendo, quais os passos, pois há muitos erros que ocorrem apenas quando uma determinada sequência for seguida, são os famosos erros intermitentes, que acontecem na máquina do cliente mas funcionam perfeitamente na máquina do desenvolvedor. Você pode instalar gratuitamente um programa para fazer imagens da tela chamado PicPick.
  • Não se desespere quando encontrar falhas menores – ou mesmo se não sair da forma exata como você queria. Conciliar diferentes ambientes e navegadores é complicado e isso significa que uma página aberta no Firefox/Windows poderá ser ligeiramente diferente de um Safari/Mac e de um Chrome/Android. Foque nas coisas maiores e se não puder resolver os pequenos problemas, não culpe o desenvolvedor já que seu cliente nem perceberá aquela falha.
  • Ainda assim, cace todas as falhas – no pré-operacional, você deve caçar todas as falhas ainda visíveis, desde a menor que seja. Acredite: mesmo com esse trabalho bem feito, ainda haverão falhas mas se esse trabalho não for feito, as falhas poderão inviabilizar sua loja no futuro. Reforçando, uma falha pequena não é um alinhamento de página mas um método de pagamento que dá problema caso o cliente digite os espaços no número do cartão de uma bandeira específica, que não representará nem 1% das suas vendas.
  • Priorize as correções – primeiro, faça as correções que impedem o lançamento da loja ou que possam resultar em erros graves. Depois, corrija os erros menores que não impedem as vendas, pois assim você poderá lançar a loja, mesmo com algumas pequenas falhas.

16) o grande lançamento
Vencendo obstáculos - imagem: Paul Bruns/Corbis

Chegou o grande dia! Sua loja virtual finalmente vai pro ar. Se for uma loja nova, o lançamento será tranquilo, pois não envolverá migração de domínio, dados nem haverá chances de transtornos típicos desse tipo de operação. Se precisar migrar seus dados, muita atenção e planejamento. Basta fazer a coisa certa e tudo correrá bem!

Lembre-se que o lançamento deve ser um dia de festa e uma chance de publicidade a não ser perdida. Prepare ofertas e promoções, avise seus clientes (ou seus potenciais clientes), faça um barulho nas redes sociais e atraia visitantes para sua loja. Faça com que esse dia seja marcante e resulte em vendas para começar com o pé-direito.

Durante o dia de lançamento e, especialmente a primeira semana, monitore sua loja bem de perto. Veja como os visitantes estão se comportando, avalie os recursos do servidor, tente entender e corrigir os últimos problemas. A partir de agora, você está diante da realidade e é importante que você possa fazer uma conexão entre todo o planejamento, todas as ideias e objetivos traçados nos últimos meses e a vida real de sua nova loja virtual.

Nem sempre a realidade é um mar de rosas e provavelmente seus primeiros meses serão difíceis (especialmente em uma loja virtual nova). O importante é não desanimar. Se você se preparou para isso, conseguirá passar sem grandes problemas. Espero que você possa ter muito sucesso. Boas vendas!

Como montar uma loja virtual – parte 6
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)