Você quer abrir uma loja virtual e não sabe como? Essa série de seis artigos apresenta os passos que se deve percorrer para montar uma loja virtual de sucesso. O caminho não é simples, mas se você tiver disciplina e paciência, suas chances aumentam muito e sua loja vai vender mais! Confira os outros artigos nos links ao final desse post.

Passamos da metade dessa série de artigos e você já deve ter ao menos uma base para seu planejamento, um suporte para o que será sua empresa, onde sua loja virtual pretende chegar e quais são os mecanismos que ela usará para isso. Agora chegou a hora de falar do catálogo de produtos.

Preparando sua loja virtual - imagem: Andrew Brookes/Corbis

Se você fez a lição de casa quando falamos dos produtos, lá no primeiro artigo da série, essa parte não será tão difícil. Aliás, acredite, creio que de todos os tópicos que estamos vendo, esse seja o mais simples, ainda que muito trabalhoso. É hora de estruturar seu catálogo de produtos, em um modo que seja simples para você gerenciá-lo e ainda mais simples para o cliente encontrar o que está procurando.

9) estruturando o catálogo de produtos

A primeira coisa a fazer quando se monta um catálogo de produtos para uma loja virtual é a listagem de jogos de atributos. Porém, para saber o que são jogos de atributos, é preciso entender o que é um atributo.

Um atributo é toda e qualquer característica de um produto, são os detalhes que o descrevem e façam com que ele seja conhecido. O preço de um produto é um atributo assim como seu peso, seu nome e sua descrição, além de seu estoque e código identificador único (também chamado de SKU, Shelf Keeping Unit ou Stock Keeping Unit, conforme a fonte consultada). Essas são características comuns nas plataformas e todos os produtos terão no mínimo essas seis características.

No entanto, há uma coleção de outras características que compõem um produto. Novamente, pensando em uma geladeira, ela pode ser descrita por itens como:

  • Capacidade de armazenamento/volume, em litros.
  • Se é uma ou duas portas.
  • Se tem freezer no alto ou na parte de baixo.
  • Se é frost free.
  • Sua cor, por exemplo, se é branca, bege, inox ou outra cor.
  • Quais as suas dimensões, largura, altura, profundidade.
  • Qual o peso real (não o peso total com embalagem, usado para cálculo de frete).
  • Se tem dispenser de água na porta.
  • Se tem resfriamento rápido.
  • Voltagem – 110V, 220V.

Esse conjunto de características pode descrever uma geladeira e seria bastante semelhante se pensássemos em um freezer, mas poderíamos aplicar esse mesmo conjunto a outros produtos, como por exemplo, uma impressora? Creio que não! Uma impressora teria outras características:

  • Voltagem – 110V, 220V.
  • Páginas impressas por minuto.
  • Tecnologia – laser, jato de tinta, sublimática, matricial.
  • Tamanho máximo do papel.
  • Resolução.
  • Nível de ruído.
  • Se pode ser conectada à rede.
  • Se tem Wi-Fi.

E assim por diante para cada grupo de produtos que você venderá. Ao listar as características de um produto, você perceberá que alguns atributos são coincidentes, eles aparecem em mais de um produto diferente. Indo um pouco além e comparando coisas similares, como uma calça e uma camiseta, ambas têm tamanho, material, marca, cor, mas me parece claro que são produtos diferentes, já que uma camiseta por atributos como estampa e tipo de gola, além da manga, coisas inexistentes em uma calça.

Assim, conseguimos entender o que é um jogo de atributos. É o elemento que reunirá as diferentes características (atributos) de um determinado tipo de produto, fazendo com que ele possa ser descrito a partir daquelas características. Difícil? Uma calça é cadastrada em um jogo de atributos chamado Calça e que reúne os atributos que tenham a ver com uma calça. Voltagem não é um atributo que tenha a ver com calça e obviamente não fará parte desse jogo de atributos.

Olhe para os seus produtos, um de cada tipo que você venderá e faça uma lista com as características de cada um deles. Intuitivamente, você já os estará separando em jogos de atributos. Como diriam as receitas culinárias, agora reserve essa lista e vamos a um passo em pararelo.

Não tenha em mente os jogos de atributos nesse momento. Eles servem para orientar o cadastro de produtos e não necessariamente serão os mesmos itens que farão parte das categorias de produtos. A navegação deve refletir a forma como seu cliente busca os produtos em sua loja virtual e portanto, a maneira como os produtos são cadastrados pode ser a mais fácil pro lojista mas nem tão fácil para o consumidor.

Sua loja deverá ter no máximo três níveis de categorias (não é uma imposição, digamos que é uma forte recomendação):

  • Departamento – é o principal nível, aquele que é exibido no menu superior, reúne os principais itens que sua loja vende.
  • Categoria – logo abaixo do departamento, a categoria serve como o primeiro filtro dentro do departamento se o cliente decidir navegar pela loja (e não usar a busca, por exemplo).
  • Sub-categoria – só deve ser usada se realmente sua loja tiver muitos produtos (e por muitos, entendo um catálogo com mais de 5 mil produtos). Normalmente, uma sub-categoria é muito melhor resolvida se fizer uso dos filtros de navegação.

Volte às lojas dos concorrentes, faça algumas pesquisas no Google, tente entender como seu cliente busca por seus produtos e procure refletir esse padrão de busca no menu de navegação. Tente fazer com que ele seja o mais simples e intuitivo possível, de modo que o visitante chegue ao produto em no máximo 5 cliques (menos que 3 é um número excelente), englobando categoria e filtros de navegação.

Aliás, o que são os filtros de navegação? Algumas características são construídas com valores pré-determinados, uma lista de valores, como voltagem, por exemplo. Um produto para uso residencial só tem três opções de voltagem: 110V, 220V e bivolt. Esse é o tipo de característica muito comum quando se busca um produto para a cozinha, pois se moramos em uma casa com rede 110V, não temos interesse em ver os produtos 220V. Ao navegar pelo departamento Cozinha e entrarmos na categoria Geladeiras, o menu lateral se transforma em uma lista de opções, com itens como Cor, Capacidade e Voltagem.

Se clicarmos em 110V, no item Voltagem, a listagem de produtos passará a exibir apenas os produtos que tenham essa opção, ou seja, todos aqueles que não possuem a opção de 220V não serão mais exibidos. Se agora procuro por uma geladeira acima de 400 litros, posso clicar nessa opção bem como escolher a cor branca, já que minha cozinha é nessa cor.

Os filtros de navegação são o item mais desprezado ao construir um catálogo de produtos mas eles são essenciais, pois além de facilitar a navegação e proporcionar melhores resultados de busca, eles fazem com que seja possível retirar níveis de categorias do topo. Com isso, o visitante só passa a ver um número maior de escolhas depois que o ambiente foi restringido, depois que ele já estiver em uma categoria (ou sub-categoria) mais próxima do que está procurando.

Tendo isso em mente, você deve refletir o padrão de navegação de seu consumidor. Volte agora aos atributos. Veja os departamentos, categorias e sub-categorias que você listou e procure entre os atributos quais são as características que deverão ser utilizadas como filtros de navegação. Essa composição fará com que você possa concluir a construção dos jogos + atributos e também das categorias.

O próximo passo é definir que tipos de produtos você precisará. A nomenclatura aqui é um pouco confusa pois tipo de produto desse ponto em diante não quer dizer o tipo de produto que vimos até agora. Seguindo a estrutura que o Magento Commerce propôs em seu lançamento e que continua sendo a melhor até hoje, temos os seguintes tipos de produto:

  • Produto simples – é um produto físico, com peso, e único, com seu conjunto de características próprias e que não se repetem. Uma camiseta tamanho P, cor branca, gola V, manga curta, estampa marinha é única, é um produto simples específico, já que uma camiseta tamanho M, cor branca, gola V, manga curta, estampa marinha é outro produto simples assim como a mesma camiseta no tamanho G.
  • Produto virtual – é um serviço, algo que não tenha peso, não seja enviado fisicamente para o cliente mas que também não é um arquivo. Pode ser uma garantia adicional ou um serviço de instalação, por exemplo.
  • Produto digital – é um arquivo para download, armazenado no servidor e entregue via download para o cliente após a confirmação do pagamento. Perceba que se você enviar esse mesmo arquivo em um CD ou DVD, ele passa a ser um produto simples, pois é um produto físico, que precisa ser enviado pelo correio.
  • Produto configurável – é um arranjo de produtos simples, onde o lojista coloca alguns produtos sob o guarda-chuva desse produto configurável e o cliente escolhe apenas um deles para compra.
  • Produto agrupado – também um arranjo como o produto configurável mas o cliente pode selecionar vários produtos para compra ao mesmo tempo.
  • Pacote de produtos – assim como os dois anteriroes, é um arranjo de produto simples com a diferença de que o cliente compra um único produto, composto pelos vários produtos simples, podendo inclusive fazer escolhas nos diversos itens.

Marketplaces - imagem: Matthias Tunger/Digital VisionPra ilustrar um pouco mais, temos as camisetas brancas que compõem nossos produtos simples. Se o cliente compra apenas uma (escolhendo pelo tamanho), elas são colocadas em um produto configurável chamado Camiseta Branca, Estampa Marinha, Gola V, Manga Curta e o cliente seleciona apenas um tamanho. Um revendedor que acesse o site pode querer comprar mais de um tamanho ao mesmo tempo e portanto há um produto agrupado que permite que ele liste a quantidade de peças a adquirir para cada tamanho.

Já o pacote de produtos permite que eu crie um look, unindo uma camiseta branca, uma calça jeans, uma jaqueta e um boné. O cliente verá uma tela com todos esses produtos, chamado de Look Casual, e poderá escolher o tamanho da camiseta, o tamanho da calça, uma opção de jaqueta e se deseja ou não comprar o boné. O preço pode ser fixo ou refletir as escolhas do cliente.

Você ainda não terá condições de montar a planilha de produtos ou começar o cadastro pois não definimos a plataforma ainda e portanto, não há como saber sequer qual será o parâmetro para o cadastro. Porém, antes de começar a pensar no desenvolvimento, você tem que ter tudo isso em mente e já saber como serão seus produtos, que tipos de produtos precisará utilizar.

Isso é importante para dimensionar a carga de trabalho necessária para o cadastro dos produtos e os itens adicionais que a loja precisará ter. Se ao estruturar o catálogo, você perceberá que precisa de funções que a maioria das lojas não têm, por exemplo, a possibilidade de dar um acessório como brinde em determinados tipos de produtos, uma vez que você viu que aquele acessório não terá saída sozinho mas é um ótimo argumento de marketing, isso já precisa ser pensado.

Se você quiser saber mais sobre atributos, jogos de atributos e produtos, dê uma olhada em meu curso de Gestão de Lojas com Magento Commerce. Revise todo o seu trabalho, agora vai começar o desenvolvimento de sua loja virtual. Até o próximo artigo!

Como montar uma loja virtual – parte 4
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)