Sim, eu sempre digo que sou contra SPAM. Sou mesmo! Todos os dias, minha caixa de e-mails é inundada por dezenas (só não são centenas porque meu servidor está configurado para recusar a maioria das mensagens indesejadas) de e-mails com coisas que eu não pedi e não tenho o menor interesse. Exemplo, moro na Grande Porto Alegre e não penso em me mudar para Belo Horizonte e nem mesmo em investir em imóveis na capital mineira. Logo, que interesse em posso ter em uma “oportunidade imperdível de investimento em BH”?

Da mesma forma, quando entro em uma loja virtual pela primeira vez, fornecer o meu e-mail para obter um desconto está longe de ser algo que eu faria. Ter que driblar um muro, digo um popup, que se interpõe entre mim e os produtos também não é nada agradável. Certo, eu não sou o que se chama de usuário leigo, mas este é mais um motivo para que e-mails não sejam caçados a todo custo nem enviados indiscriminadamente. Esqueçam a ideia de que uma newsletter tem 1% de retorno e que se você enviar 1 milhão de e-mails, 10 mil pessoas irão comprar em sua loja pois isso é a mais pura fantasia.

Mailing List - imagem: Corbis Images

Dito isso, de maneira bem agressiva, concordo, vamos conversar sobre como construir uma lista de e-mails de relevância. O primeiro ponto eu já coloquei e repito: não queira conquistar os e-mails de seus potenciais consumidores a todo custo. Quantidade não é sinônimo de qualidade e é muito melhor ter uma boa lista pequena do que uma enorme quantidade de lixo.

Lembre-se: seus consumidores querem receber coisas relevantes, que tenham a ver com sua realidade e seus anseios. Portanto, não adianta comprar uma lista pronta, que traz centenas de milhares de e-mails espalhados por todas as áreas e muitas vezes conquistados de maneira ilegal. Não acredite quando alguém vender uma lista segmentada, prometendo que são e-mails de determinado setor.

Se relevância é sua meta, você primeiro precisa entender quem é seu público e começar a construir newsletters pensando nesse público. Se eles querem promoções, então crie uma newsletter de promoções e ofertas. Se eles estão ligados a novas tendências e moda, crie essa newsletter. Se eles querem dicas de estilo e viagens, é isso que você deve oferecer. Claro que você não vai oferecer conteúdo que não esteja relacionado aos seus produtos, afinal você tem que vender e não prover conteúdo desconectado de seu negócio. Sim, primeiro você pensa no conteúdo que vai oferecer e depois você vai atrás do público.

Sabendo o que você vai entregar em seus mails rotineiros, defina a frequência. Um e-mail mensal é suficiente? Quinzenal, semanal, diário? Qual a frequência de envios que você consegue suportar (é preciso criar conteúdo novo e relevante, lembra-se?) e qual frequência que seu público está pronto para absorver? Assino algumas newsletters por questões profissionais e outros por hobby, mas confesso, não consigo ler a maioria deles pelo simples motivo de que são muito frequentes e com muito conteúdo, o que faz com que eu não tenha tempo de lê-las em horário de trabalho e esqueça delas fora desse horário. Isso leva a outro ponto: não exagere no conteúdo, ou as pessoas não terão tempo de ler seus e-mails.

A partir daqui, sabendo a frequência e o público, você pode começar a buscar os leitores – e não o contrário. Então, se seu público está interessado em promoções, crie uma página que reúna todos os itens em oferta em sua loja e ali, coloque a caixa de assinatura da newsletter com as promoções. A chance de que seu leitor assine a newsletter por prazer, por interesse (e não por impulso ou barganha) será muito maior, assim como sua resposta aos e-mails.

Se ele tem interesse em tendências, crie um blog ou uma página de novidades em sua loja e ali convide o leitor a assinar sua newsletter. O que quero dizer com isso é: busque o leitor adequado a partir do contexto adequado. Assim, você tem leitores mais qualificados e que estão prontos para darem um melhor retorno, muito acima do 1% teórico e fantasioso, com pouco esforço e muito mais respeito pelo cliente.

Além disso, cumpra o que prometeu e respeite o desejo do leitor em sair da lista. Se você disse que vai enviar um  e-mail a cada 15 dias, não manda mais do que isso. Se ele clicou no link de Sair da Lista, respeite isso e não mande mais e-mails para ele.

Por último, nunca, jamais, em hipótese alguma, venda sua lista de e-mails. Talvez seu leitor nunca descobrirá que foi você quem vendeu mas se você não consegue ser ético nisso, como poderá ser ético em tantas outras coisas?

Construindo uma lista de e-mails de relevância
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)