Blog + Loja Virtual - imagem: CorbisDefendo uma corrente que diz que loja virtual é loja virtual e blog é blog. Algo como “se compra onde se tem produtos para comprar” e “se informa onde se tem conteúdo para se informar”. Em áreas separadas, distintas e bem claras. Talvez seja por isso que se encontra tanta dificuldade para se vender no Facebook: quando as pessoas estão na rede social, suas mentes não estão preocupadas com compras mas sim com diversão e lazer.

Certo, isso não quer dizer que você não consiga vender no Facebook. Seria mais ou menos como um passeio no shopping, com a questão do impulso. Se a pessoa foi ao shopping para comer ou assistir um filme (igual a “passear no Facebook”), você pode tentar mostrar uma oferta imperdível em sua vitrine (igual a um “anúncio no Facebook”). Mas diferentemente de alguém que vai ao shopping para comprar um produto, ninguém vai ao Facebook para comprar um produto.

Sem fugir do assunto, essa é uma das razões pelas quais eu defendo que loja é loja e blog é blog, com domínios separados, layouts separados, conteúdos bem distintos. Nessa estratégia, você entrega, sem cobrar nada por isso, conteúdo de qualidade para potenciais clientes, acreditando que com isso terá mais chances de formar um público e vender seus produtos.

Quando estiver montando o blog para sua loja virtual (e assumindo que você já está convencido de que vale a pena ter um blog ao lado de sua loja virtual), comece tendo em mente que o conteúdo deve ser imparcial. No blog, você não deve fazer propaganda de seu produto ou sua loja, mas sim apresentar os produtos que você vende em uma maneira isenta, mostrando seus prós e contras. O leitor chegará até seu blog buscando obter informações verídicas, que o auxiliem na construção de suas decisões.

Se você começar a mostrar apenas os produtos que você vende e desconsiderar os produtos concorrentes, ou artificialmente dourar a pílula de seu produto, os leitores perceberão e sua credibilidade afundará. Sem credibilidade, sem leitores. Sem leitores, sem potenciais compradores.

Mescle o conteúdo apresentando comparativos de produtos, análises de mercado, tendências, opiniões especializadas. Você deve conhecer seus produtos e portanto pode escrever boa parte desse conteúdo em primeira pessoa, compartilhando suas experiências. Você não precisa escrever todos os artigos e nem escrever um artigo por dia, mas suas opiniões sinceras emprestarão credibilidade aos artigos.

Busque também outros artigos técnicos que foram feitos para os produtos que você vende. Se você vende artigos de informática, há bons sites que fazem esse tipo de artigo. Uma boa estratégia para gerar conteúdo de qualidade é comentar o artigo original, dando seu ponto de vista, sem esquecer de informar aos leitores que você está se baseando em outro artigo.

Abra também espaço para os leitores, para que eles compartilhem suas opiniões, mesmo que eles digam que o produto que você vende é uma droga. Esqueça a mentalidade fechada de que se você incentivar o comentário por parte dos leitores e eles falarem mal, seu negócio está arruinado. Não acredite que só existe o seu site, seu blog, sua loja. Se os compradores não gostarem de seu produto, eles poderão reclamar em inúmeros outros sites.

É melhor deixar o espaço aberto em seu blog, de forma que isso possa ser confrontado em uma maneira justa. Além disso, sempre desconfiamos quando todos falam bem de um produto. Nesses anos de experiência, aprendi a identificar os comentários artificiais, feitos sob medida para elogiar um produto que não vende.

Um blog deve ter regularidade, isto é, ter publicações constantes. Além de acostumar os leitores e ser interessante para o posicionamento no Google, é sempre legal quando vemos um blog que tem posts atualizados. Você desconfia de um blog em que a publicação mais recente é de um, dois anos atrás, e começa a questionar se aquele conteúdo ainda é válido. Para isso, monte uma agenda de posts e vá escrevendo com certa antecedência, de modo que o blog não fique às escuras se você não puder escrever por uns dias.

Entenda o blog como uma ferramenta de marketing! Você pode escrever os próprios artigos e isso consumirá tempo. Você pode contratar uma agência ou um redator para escrevê-los e isso consumirá dinheiro. Porém, garanto que não é dinheiro jogado fora, pois um blog com conteúdo de qualidade tem grandes chances de ser bem indexado pelo Google e isso se traduzirá em visitas orgânicas, que não custam nada para você (ao menos diretamente).

A partir do blog, busque formas de conduzir seus leitores para sua loja: posts que falam de determinado produto podem ter links para aquele produto; comparativos levam para os produtos comparados; posts promocionais levam para categorias promocionais; posts sobre determinada marca conduzem o visitante a uma página com os produtos daquela marca. Tudo isso deve ser feito sem exagerar, é claro, e há dois ganhos aqui. Além da visita desses leitores, você ganha links de qualidade, herdados do seu blog (que provavelmente será considerado um site de qualidade).

Última coisa: depois de começar, não pare! E não desista no primeiro ano! Esse é um processo que dá trabalho e leva de dois a três anos para dar os primeiros resultados, mas acredite, depois que você estiver bem posicionado, não é difícil manter o patamar.

Colocando conteúdo em um blog
0 votos, 0.00 média (0% pontuação)